Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O Dia do Senhor: Sábado ou Domingo?



O DIA DO SENHOR
1 – O SÁBADO

O vocábulo SÁBADO vem do hebraico שָׁבָּת (SHĀBBĀTH), que por sua vez vem da raiz verbal שׁ (SH), בּ (B), ת (TH), com afinidades no acádio SHĀBBĀTU ou SHĀPPĀTU, e cujo significado é: PAUSA, CESSAÇÃO, DESCANSO, REPOUSO. Assim como quase todos os vocábulos hebraicos, este substantivo provém de uma raiz verba: שבת, com a pronúncia: שָׁבֹת (SHĀBHŌTH - infinitivo) ou שָׁבַת (SHĀBHATH - 3ª pes. sing. do imperfeito, tronco QAL), e são pronunciados: SHAVŌTH e SHĀVATH, respectivamente. Daí temos o verbo SABATIZAR (CESSAR). Este verbo aparece pela primeira vez em Gênesis 2:2 

"No sétimo dia acabou Deus a obra que tinha feito; e cessou no sétimo dia de toda a obra que fizera." (Tradução Brasileira)

Essa é a melhor e mais correta tradução, pois Deus não poderia "descansar", como está em algumas traduções, pois está escrito em Isaías 40:28:

"Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento."


Outras ocorrências do verbo שבת:

"Enquanto durar a terra, não  deixará de haver [shâbhath] sementeira e ceifa, frio e calor, verão e inverno, dia e noite."

 "Sete dias comereis pães asmos. Logo ao primeiro dia, tirareis [shâbhath] o fermento das vossas casas" (Êxodo 12.15a)



O que a Bíblia diz sobre o Sábado:
 

01.  Deus ainda trabalhou neste dia e terminou a sua obra criadora:
"No sétimo dia acabou Deus a obra que tinha feito; e cessou no sétimo dia de toda a obra que fizera.  (Gn.2:2); Trad. Brasileira. Deus acabou sua obra no sétimo dia e não no sexto.

02.  O Sábado não era somente o 7º dia da semana, mas também:
a) A festa anual da expiação, no sétimo mês, aos dez dias do mês, que poderia cair em qualquer dia da semana (Lev.16:29-31);
b) De sete em sete anos, um ano de repouso para a terra: um sábado ao SENHOR (Lev.25:2-4);
c) De cinqüenta em cinqüenta anos, no sétimo mês, aos dez dias do mês, começava o Ano do Jubileu (Lev. 25:8-10);

03.  Um velho concerto dado somente aos judeus, somente aos filhos de Israel:
a) "Considerai que o SENHOR vos deu o sábado; por isso ele no sexto dia vos dá pão para dois dias; cada um fique onde está, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia. "Assim descansou o povo no sétimo dia" (Ex.16:29-30);
b) "Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão... "Lembra-te do Dia de Sábado, para o santificar." (Ex.20:2,8) 
c) "Tu, pois, falarás aos filhos de Israel, e lhes dirás: Certamente guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibas que eu sou o SENHOR quer vos santifica."  (Ex.31:13-17);

04.  Dos Dez Mandamentos, é o único cerimonial, solene:
"Disse o SENHOR a Moisés: "Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: As festas fixas do SENHOR, que proclamareis, serão santas convocações: são estas as minhas festas. Seis dias trabalhareis, mas o sétimo será o sábado do descanso solene, santa convocação; nenhuma obra fareis; é sábado do SENHOR em todas as vossas moradas." (Lev.23:1-3);

05.  Dos Dez, é o único que é memorial dos quatrocentos anos de servidão no Egito:
"Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR teu Deus. "...porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o SENHOR teu Deus te tirou dali com mão poderosa, e braço estendido: pelo que o SENHOR teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado."  (Deut. 5:12,15)

06.  Um sinal somente entre Deus e Israel:
"Tirei-os da terra do Egito e os levei para o deserto. "Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o SENHOR que os santifica."  (Ezeq. 20 10, 12)  Conf.: 04º item, parte c.

07.  Não se devia carregar nenhuma carga:
"Assim diz o Senhor: Guardai-vos por amor da vossa alma, não carregueis carga no dia de sábado, nem as introduzirás pelas portas de Jerusalém(Jer.17:21;  Ne.13:19);

08.  Nem acender fogo:
 "Não acendereis fogo em nenhuma das vossas moradas no dia do sábado."  (Ex.35:3); 

09.  Estatuto perpétuo somente para os judeus:
"Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua por suas gerações. "Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre..."  (Ex.31:16,17);

10.  Sua transgressão era a pena capital:
"Trabalhareis seis dias, mas o sétimo dia vos será santo, o sábado do repouso solene ao SENHOR; quem nele trabalhar, morrerá."  (Ex.31:15; 35:1-2);

11.  Por causa do culto hipócrita, os sábados já foram abomináveis ao Senhor:
"Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as luas novas, os sábados e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade associada ao ajuntamento solene." (Is. 1:13)  Comp.: Ex.31:13;

12.  Foi predito o seu fim:
"Farei cessar todo o seu gozo, as suas festas, as suas luas novas, os seus sábados e todas as suas solenidades" (Oséias 2:11)  Comp.: Ez.20:10-13;


13.  Deus entregou ao esquecimento a assembléia solene e o sábado:
"E arrancou a sua cabana com violência, como se fosse a de uma horta; destruiu o seu lugar de assembléia; o Senhor entregou ao esquecimento em Sião a assembléia solene e o sábado; e na indignação da sua ira rejeitou com desprezo o rei e o sacerdote." (Lam. 2:6);

14.  O sábado era uma sombra:
"Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, "porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haveriam de vir; porém o corpo é de Cristo." (Col. 2:16,17).  Conf.: Lev.23:2-4; Também: Heb:10:1);

15.  A respeito da Lei, Jesus veio:
a) Cumpri-la:  "Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas: não vim para revogar, vim para cumprir."  (Mat.5:17);
b) Resgatar os que estavam sob ela: "Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, "para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos." (Gal.4:4,5) Também: Jo.5:16-18; Rom. 15:8; Gal.2:14-17, 2Co.3:14;
c) Aboli-la: [Cristo] "aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenança, para que dos dois criasse em si mesmo um novo homem, fazendo a paz"  (Ef. 2:5);  Ver também: Col.2:14,16,17; 2Cor.3:3-14; Heb.7:18,19;
d) Mudá-la: "pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei"  (Heb:7:12ss)
e) Ele é o fim da lei: "Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê." (Rom. 10:4);

16.  O Senhor Jesus disse que nenhum "i" ou "til" da lei passaria até que tudo se cumpra. Quando diz: "ATÉ QUE tudo se cumpra", quando se cumprir, os "is" e "tils" passariam, e, como vimos Jesus cumpriu toda a lei nos mínimos detalhes. Conf.: Mat 5:17,18; Lucas 24:44; Ef.2:5, etc.
Quando tudo se cumpriu, foi abolido, ficou sem validade legal. Foi por isso que Paulo escreveu que Cristo "aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz" (Efésios 2:15).
E: 
"Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido." (2 Coríntios 3:14 – Almeida-Revista e Corrigida)

17.  Os da lei são malditos:
"Todos quantos, pois, são das obras da lei, estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as cousas escritas no livro da lei, para praticá-las." (Gálatas 3:10);

18.  A lei dos 10 mandamentos em tábuas de pedra: ministério de morte:
"Estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações." (2Cor.3:3);
"E se o ministério de morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não puderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente, "como não será de maior glória o ministério do Espírito?" (versos:7 e 8);

 19.  A lei é antiga e caduca:
a) "Agora, porém, libertos da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. "Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás."  (Rom.7:6,7);
b) "E, de fato, repreendendo-os, diz: Eis aí vêm dias diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá... "Quando ele diz: Nova, torna antiquada a primeira. Ora aquilo que se torna antiquado e envelhecido, está prestes a desaparecer."  (Heb.8:8, 13);

20.  O Senhor Jesus disse que seu Pai trabalha no dia de sábado e ele também trabalha:

"E os judeus perseguiam a Jesus, porque fazia estas cousas no dia de sábado. "Mas ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também." (João 5:16,17);


21.   Cristo violou o sábado:

"Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus." (João 5:18). João nos declara duas coisas pelas quais Jesus era perseguido: 1ª: se dizia filho de Deus, 2ª: violava o sábado;



22.  Não deve ser guardado:
"Mas agora conhecendo a Deus, ou antes sendo conhecidos por Deus, como estais voltando outra vez aos rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis ainda escravizar-vos? "Guardais dias, e meses, e tempos e anos. "Receio de vós que tenha eu trabalhado em vão para convosco." (Gal.4:9-11);


 23.  Quem guarda o Sábado, deve guardar TODA A LEI. Quando se diz: TODA, inclui a moral e cerimonial, e não somente os Dez Mandamentos:
"Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça num só ponto, torna-se culpado de todos." (Tg.2:10);

 24.  Jesus é o Senhor até do sábado e não lhe está sujeito:
"Ora, aconteceu atravessar Jesus, em dia de sábado, as searas, e os discípulos, ao passarem, colhiam espigas.
Advertiram-no os fariseus: Vê! Por que fazem o que não é lícito aos sábados?
Mas ele lhes respondeu: Nunca lestes o que fez Davi, quando se viu em necessidade e teve fome, ele e os seus companheiros?
Como entrou na Casa de Deus, no tempo do sumo sacerdote Abiatar, e comeu os pães da proposição, os quais não é lícito comer, senão aos sacerdotes, e deu também aos que estavam com ele?
E acrescentou: O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado;
de sorte que o Filho do Homem é senhor também do sábado." (Mar.2:23-28). Conf.:  Num. 28:9,10 / Ex.34:21;

 25.  Jesus é o nosso Sábado (descanso), pelo qual o sábado da lei era somente uma sombra:
"Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei."  (Mat.11:28)  Conf.: ponto 14º, pág. 2;

 26.  Na lei da Nova Aliança, que não está escrita em tábuas de pedra, mas nas tábuas da mente e do coração (Heb.8:8-10), não há um mandamento expresso, no sobre a guarda de um dia, pois todos os dias são iguais perante Deus (Rom.14:1-6):
"Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. "Quem distingue entre dia e dia, para o Senhor o faz..." (verso 5, 6a);

27.  Deus disse que ninguém mais entraria no seu descanso:
"Porque em certo lugar assim disse, no tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as obras que fizera."
"E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão no meu descanso." (Heb.4:4,5);

28.   Josué já havia predito um outro dia do Descanso:
"Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria posteriormente a respeito de um outro dia." (Heb. 4:8)

29.  Ora, se em alguns idiomas como o inglês, o holandês, etc., o Primeiro Dia da Semana é chamado de "DIA DO SOL" (Sunday, Zondag), nestes mesmos idiomas, o Sétimo dia é chamado de "DIA DE SATURNO" (ex.: inglês: Saturday, e holandês: Zaterdag). E a própria Bíblia nos diz que o "SENHOR é SOL e escudo (Salmo 84:11) e Jesus é "o SOL nascente das alturas que nos visitou" (Lucas 1:78,79).
 
Muitas seitas surgidas a partir do século 19 querem usurpar o dia de descanso dado somente aos filhos de Israel.

O povo de Israel foi formado como nação após a escravidão no Egito. Este povo descende de Abraão, um caldeu que se tornou hebreu, cujo neto era aramaeu, pois se vc não sabe, o próprio Moisés disse que Jacó era arameu:

"Então, testificarás perante o SENHOR, teu Deus, e dirás: Arameu prestes a perecer foi meu pai, e desceu para o Egito, e ali viveu como estrangeiro com pouca gente; e ali veio a ser nação grande, forte e numerosa." (Deuteronômio 26.5)

Em Êxodo 20:10 está escrito que o sétimo dia é o sábado do SENHOR, mas no capítulo 31 está escrito que Ele o deu somente aos Filhos de Israel, no deserto, após a sua saída do Egito: 
 
"Tu, pois, falarás aos filhos de Israel, e lhes dirás: Certamente guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibas que eu sou o SENHOR quer vos santifica."  (Ex.31:13-17); 
"Tirei-os da terra do Egito e os levei para o deserto.
"Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o SENHOR que os santifica. (Ezeq. 20:10, 12)
 
O sábado passou a ser um memorial da saída do povo de Israel da terra de Mitsraim (Egito):

"Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o SENHOR, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o SENHOR, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado." (Deut. 5:15)
 
Se você é judeu, e ainda faz parte da primeira aliança, deve guardar o Shabbath. Se é um goy (gentio), guarde-o se quiser, mas não de forma legalista e não julgue quem não o guarda (Rom 14:5, 6, 10) e nem se basei nas promessas dadas somente aos filhos de Israel. (Êxodo 16:29-30;  20:2, 8;  31:16, 17)
  
Os cristãos têm o seu Cristo que lhes deu novos mandamentos (Mt 5:21, 22,  27, 28,  33, 34; Jo 13:34), nova lei (Hb 7:12), Novo Testamento (Mt 26:28; 1Co 11:25; 2Co 3:6; Hb 9:15-20, etc.), pois aboliu o Antigo: 2Co 3:14; Ef 2:15; 2Co 3:7,8.


 
*       *       *


2 – O DOMINGO

O vocábulo DOMINGO vem do Latim DOMINICUS DIES, que por sua vez é a tradução exata para este idioma, da expressão grega de Apoc. 1:10, Κυριακη  ‘ημερα (KYPIAKH `HMEPA - pron.: küriakê hêmera), e cuja tradução em português é: "DIA DO SENHOR" ou mais literalmente: "DIA DE DOMINGO". A palavra latina DOMINUS, significa “SENHOR” em português, originando várias outras neste idioma: DOMINGO, DOMINICAL, DOMINADOR, DOMINAR, e seus derivados. Da mesma forma a palavra grega Kyrios originou a palavra Kyriakê (pertencente ao Senhor) que é o nome do primeiro dia da semana em grego:

 
O vocábulo DOMINGO vem do Latim DOMINICUS DIES, que por sua vez é a tradução exata para este idioma, da expressão grega de Apoc. 1:10, Κυριακη  ‘ημερα (KYPIAKH `HMEPA - pron.: küriakê hêmera), e cuja tradução em português é: "DIA DO SENHOR" ou mais literalmente: "DIA DE DOMINGO". A palavra latina DOMINUS, significa “SENHOR” em português, originando várias outras neste idioma: DOMINGO, DOMINICAL, DOMINADOR, DOMINAR, e seus derivados. Da mesma forma a palavra grega Kyrios originou a palavra Kyriakê (do Senhor) que é o nome do primeiro dia da semana em grego dos cristãos do final do primeiro século:

1º= Κυριακή (Kyriakē ), 2º= Δευτέρα (Deutéra), 3º= Τρίτη (Trítē), 4º= Τετάρτη (Tetártē), 5º= Πέμπτη (Pémptē), 6º= Παρασκευή (Paraske), e 7º= Σάββατον (Sábbaton).

Ou o sétimo dia do descanso atualmente na Grécia e Macedônia:

1º= Δευτέρα (Deftéra), 2º= Τρίτη (Trítī), 3º= Τετάρτη (Tetártī), 4º= Πέμπτη (Pémptī), 5º= Παρασκευή (Paraskeví́), e 6º= Σάββατο (Sávvato) e 7º= Κυριακή (Kyriakī́ ).


Tabela dos dias da semana em Grego e Latim:




É interessante a definição em grego da palavra Kyriakê na ΒΙΚΙΠΑΕΔΕΙΑ (VIKIPÉDIA):
Κυριακή, η πρώτη ημέρα της εβδομάδας, ενώ άλλες φορές αναφέρεται ως
έβδομη  ημέρα της εβδομάδας, με πρώτη την Δευτέρα.
Kyriakê, he prôtê hêméra tês ebdomádas, enô álles forés anaféretai hôs
ébdomê hêméra tês ebdomádas, me prôtê tên Deutéra. (*)
Kyriakê, o primeiro dia da semana, por vezes referido como
sétimo dia da semana, começando com a segunda-feira.

É interessante também a palavra correspondente para "FIM DE SEMANA" em grego moderno: σαββατοκύριακο (SABBATOKÝRIAKO ou SAVATOKÝRIAKO) Morfologia: Σάββατο (sábado) + Κυριακή (domingo). http://pt.wiktionary.org/wiki/%CF%83%CE%B1%CE%B2%CE%B2%CE%B1%CF%84%CE%BF%CE%BA%CF%8D%CF%81%CE%B9%CE%B1%CE%BA%CE%BF

A palavra grega literal para Senhor não é κυριακη (Kyriakê), mas, Κυρίος (Kyrios)! Kυριακη (kyriakê) é a forma feminina para combinar com `ημερα (hêmera). E desde a antiguidade essa expressão foi usada para designar o nome do primeiro dia da semana. Quando a palavra é usada só, muitas vezes se usa a forma masculina Κυρίακος (Kyriacos).

  
Agora compare:

O DIA DO SENHOR:

 1º)  Κυριακη  ‘ημερα (KÜRIAKÊ HÊMERA = lat.: DOMINICUS DIE) = Apo. 1:10;
 2º)  ‘Ημερα Κυριου (HÊMERA KÜRIU):
     a) do juízo (Sof. 1:14; At. 2:20);
     b) da Parusia [vinda] (Mt. 24:42-44; 2Ped. 3:10).

O NOME DO PRIMEIRO DIA DA SEMANA: 
 1-  em grego moderno é Κυριακη (KYRIAKÊ);
 2-  em  latim é DOMINICUS, e
 3-  em português é DOMINGO.

 
Aconteceu no DOMINGO:

  01- JESUS RESSUSCITOU (Mar. 16:2,6,9);
  02- Falou com Maria Madalena que depois foi a primeira a anunciar as Boas Novas (Jo. 20:11-18);
  03- Apareceu a dois discípulos no caminho de Emaús (Mar. 16:12,13; Luc. 24:13,ss);
  04- Apareceu aos seus dez discípulos (Jo. 20:19);
  05- Uma semana depois aos onze (Jo. 20:26);
  06- No Dia do Pentecostes: a vinda do Espírito Santo (At.2:1-4, compare com Lev. 23:15,16);
  07- O primeiro sermão evangelístico (Atos 2:14);
  08- Quase 30.000 conversos (verso 41);
  09- O primeiro Batismo Cristão (versos 38 a 41);
  10- O culto cristão com a Ceia do Senhor (Atos 20:7);
  11- A coleta cristã (1Cor. 16:2);
  12- Cristo revelou o Apocalipse (Apoc. 1:10).

Obs.: Note que os pontos de 1 a 5 e 12, acima, demonstram que o Senhor se reuniu com os crentes somente no Primeiro Dia da Semana, simbolizando a reunião cristã do culto dominical. Os pontos de 6-11 são conseqüência dos primeiros.

Em Apocalipse 1:10, João usa a expressão “dia do Senhor”, e a palavra grega usada é Kyriakê, pois ao referir-se ao dia da semana, SEMPRE se refere ao PRIMEIRO DIA. No fim do primeiro século até o dia de hoje a palavra grega para o primeiro dia da semana é KYRIAKÊ. No seu evangelho, João, a exemplo dos outros evangelistas, usou a expressão:  "primeiro dos sábados", ao referir-se ao dia da ressurreição do Senhor |Jesus.
Notou? Em grego está: μι τν σαββάτων (MIA TÔN SABBATÔN), que literalmente significa: "PRIMEIRO DOS SÁBADOS" ou "PRIMEIRO DOS DESCANSOS"!
Ainda na era apostólica o Domingo era chamado de Descanso, ou, mais exatamente: Primeiro dos Descansos! Somente próximo ao final do 1° século o Primeiro dia da semana passou a ser chamado de KYRIAKÊ (latim: Dominicus) ou seja, Domingo, para diferenciá-lo do dia do descanso judaico. A palavra grega Kyriakê é derivada de Kyrios (Senhor), assim como a latina Dominicus (Domingo) é derivada de Dominus (Dominador, Senhor).
Μι τν σαββάτων (MIA TÔN SABBATÔN  = "Um dos sábados" ou "Primeiro dos sábados") é exatamente a mesma mensagem que está em Mt 28:1, Mr 16:2, Lu 24:1, Atos 20:7 e 1Co 16:2. Além do mais, nesta frase não tem a palavra 'ημερα (HEMERA) DIA em grego, como se poderia esperar. Logo, os escritores sacros não tinham em mente a palavra "semana" em grego, mas a palavra "sábados" transliterada. 
A frase "primeiro dos sábados" é bem explicada por Levítico 23:15 onde são dadas instruções para contar "sete Sábados" (heb.: שבע שבתות = sheva shabbatôth) após o dia santo da Páscoa.


As nossas versões em português traduzem conforme a Septuaginta que diz: επτα εβδομαδας (epta ebdomadas = sete semanas), mas o Targum de Onkelos (aramaico) verte conforme o original hebraico, ou seja, "sete sábados" (שובע שבין).

Essa contagem é por causa do dia da Festa das Colheitas (Ex. 23:15), que em grego é chamada de Πεντηκοστής (Pentecostes = quinquagésimo) que se dava no quinquagésimo dia após a Páscoa: 7x7+1= 50, ou seja, eram contados sete sábados (ou sete semanas) e o dia após o sétimo sábado seria o quinquagésimo (pentecoste), que caia no primeiro dia da semana.

Conforme Levítico 23:15, após o sábado pascal, deveriam ser contados sete sábados: o primeiro sábado no primeiro dia da semana, o segundo sábado, no segundo dia, e assim sucessivamente até o sétimo sábado. Uma semana de sábados, ou seja, sete dias de feriado. Os fariseus tinham o costume de jejuar no segundo e no quinto sábado desta semana de sábados, conforme nos atesta ο Didaquê 8:1.

"Αι δε νηστείαι υμών μη έστωσαν μετά των υποκριτών· νηστεύουσι γαρ δευτέρα σαββάτων και πέμπη· υμείς δε νηστεύσατε τετράδα και παρασκευήν."
 

Que os jejuns de vocês não coincidam com os dos hipócritas. Eles jejuam no segundo dos sábados e no quinto (segunda-feira e quinta-feira). Vocês, porém, jejuem no quarto (quarta-feira) e na preparação (sexta-feira, preparação para a páscoa – João 19:14).

Pelo fato dos fariseus jejuarem duas vezes pelo sábado (Lucas 18:12), conforme o texto grego, e o Didaquê nos diz tratar-se da segunda e da quinta-eira, os cristãos passaram a jejuar na quarta e na sexta feira da paixão, e, conforme a obra intitulada "Constituições Apóstólicas" (Οι Αποστολικές Διαταγές / Constitutiones Apostolorum), do IV século, os cristãos primitivos jejuavam na quarta-feira por causa da traição de Judas e na sexta-feira santa por causa da Paixão do Senhor. Além disso, Epifânio de Chipre considera que jejum na quarta-feira e sexta-feira vem da tradição apostólica (Contra as Heresias 76, 6).

Por haver sete sábados na semana após a Páscoa, a ressurreição do Senhor Jesus se deu no Primeiros destes sábados, após o sétimo dia da semana. (Mt. 28:1)

A frase usada no Novo Testamento para designar o dia da ressurreição do Senhor Jesus não é πρώτη ημέρα της εβδομάδας (prôtê hêmera tês ebdomadas), mas: μιᾷ τῶν σαββάτων (mia tôn sabbatôn), ou seja: PRIMEIRO DOS SÁBADOS! Logo, a melhor tradução de σαββάτων é sábados MESMO! A grande maioria esmagadora dos tradutores e revisores atuais vertem a palavra erradamente por "semana" por pensarem que a frase Μιᾷ τῶν σαββάτων trata-se de uma expressão idiomática onde "sábados" significa "semana", não atentando para a época em que se deu a ressurreição do Senhor. A palavra grega para SEMANA é ΕΒΔΟΜΑΣ, εβδομας (EBDOMAS) e não a hebraica transliterada para o grego: σαββατον (SABBATON).



O mais interessante é que Mateus (28:1) faz diferença entre o Sábado (sétimo dia) e o Primeiro dos Sábados (Domingo):

Grego:
Οψε δε σαββατων τη επιφωσκουση εις μιαν σαββατων...
Opse de sabbatôn tê epifôskousê eis mian sabbatôn
Mas ao findar os sábados, ao amanhecer o primeiro dos sábados...

Peshitta Aramaica:
ܒ݁ܪܲܡܫܵܐ ܕܹ݁ܝܢ ܒ݁ܫܲܒ݁ܬ݂ܵܐ ܕ݁ܢܵܓ݂ܲܗ ܚܲܕ݂ ܒ݁ܫܲܒ݁ܵܐ ܐܸܬ݂ܵܬ݂
בּרַמשָׁא   דֵּין   בּשַׁבּתָא    דּנָגַה    חַד    בּשַׁבָּא    אֵתָת
b'ramshā dēn b'shabā d'nāǥah a b'shabbā eā...
Mas, em anoitecer do sábado (shab't,a), ao amanhecer do primeiro sábado (shabb'a)...

Coloquei o texto em dois tipos de escrita aramaica: estrang'elo e ashurith (esta última é mais conhecida como “hebraica”) para quem não sabe ler o aramaico, mas lê o hebraico, e também a pronúncia oriental figurada e a tradução literal.
Em aramaico é quase usada a mesma expressão do grego, com a diferença que "sábado" está no singular e modificado por elisão: shabbā, diferenciando-o do sábado (sétimo dia): shab't,a.
Assim como o tradutor da Peshitta, as versões em Latim, tanto a Ítala (Vetus Latina) como a de Jerônimo, ou seja, a Vulgata, também conservam as palavras originais:

"vespere autem sabbati quae lucescit in primam sabbati venit Maria Magdalene et altera Maria videre sepulchrum".

 Também em Marcos 16:9, na Peshitta, podemos ver a expressão "primeiro sábado":


בּשַׁפרָא דֵּין בּחַד בּשַׁבָּא קָם וֵאתחזִי לוּקדַם למַריַם מַגדּלָיתָּא הָי דּשַׁבעָא שׁאִדִין אַפֵּק הוָא מֵנָה ׃
B'shaprā dēn b'a b'shabbā qām weṯḥ'zī lūqam l'Mariam maǥd'lāytā hāy d'shaā šiīn appeq hwā mennāh.
Mas, na manhã no primeiro sábado, ele se levantou (ressuscitou), e foi visto pela primeira vez por Maria Magdalena, de quem havia expulsado sete demônios.

Em aramaico é quase usada a mesma expressão do grego, com a diferença que "sábado" está modificada por elisão e está no singular: ܒ݁ܚܲܕ݂ ܒ݁ܫܲܒ݁ܵܐ (b'a b'shabbā = "no primeiro sábado" ou "no primeiro do descanso"). Talvez causa dessa modificação ou por considerarem a frase uma expressão idiomática, os tradutores modernos traduzem a palavra shabbā por "semana" (ficando  oculta a mensagem original) ficando assim: "Primeiro [dia] da Semana" em todas as suas ocorrências: Mateus 28:1; Marcos 16:2, 9; Lucas 24:1; João 20:1, 19; Atos 20:7; 1 Coríntios 16:2.
A diferença está em Apocalipse 1:10 em que o numeral primeiro (um) está ligado à palavra shabbā: ܕ݁ܚܲܕ݂ܒ݁ܫܲܒ݁ܵܐ (d'Had,b'shab'a):
ܘܲܗܘܝܼܬ݂ ܒ݁ܪܘܿܚ ܒ݁ܝܲܘܡܵܐ ܕ݁ܚܲܕ݂ܒ݁ܫܲܒ݁ܵܐ 
וַהוִית בּרוּח בּיַומָא דּחַדבּשַׁבָּא 
wahwī b'rū b'yawmā d'ab'shabbā
E eu estava em espírito no dia, o primeiro do descanso... (tradução literal)
Eu estava em espírito no primeiro dia da semana...

Achei interessante é que quem traduziu a Peshitta não usou a expressão Yaumā Mārānāiā(Yaumō Mōrōnōiō = Dia do Senhor), como se era de esperar em Apocalipse 1:10, mas conservou a mesma expressão equivalente a "Primeiro dia da Semana" da mesma forma que os evangelistas e Paulo.

É por isso que o primeiro dia da semana é o sábado (descanso) dos cristãos.

 
TESTEMUNHO DE ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DO SEGUNDO SÉCULO A. D. ANTES DO “TAL” CONSTANTINO:

1.  “Inácio, (35 - 110 d.C.) foi Bispo de Antioquia da Síria, discípulo do apóstolo João, também conheceu o apóstolo Paulo e foi sucessor de São Pedro na igreja em Antioquia fundada pelo próprio apóstolo, segundo Eusébio escritor eclesiástico pelos fins do séc. IV. Logo, Inácio (Ignacius = nascido do fogo) recebeu instruções diretamente dos apóstolos do Senhor. Em suas peregrinações em cadeias, de Antioquia da Síria a Roma (107-110 d. C.) para ser martirizado, escreveu sete cartas às comunidades cristãs por onde passou e, entre estas, à igreja de Magnésia  que, com relação ao Dia do Descanso assim reza:

 Ει ουν οι εν παλαιοίς πράγμασιν αναστραφέντες εις καινότητα ελπίδος ήλθον, μηκέτι σαββατίζοντες, αλλά κατά κυριακήν ζώντες, εν ή και η ζωή ημών ανέτειλεν δι’ αυτού και του θανάτου αυτού 
 (À aqueles que viviam da antiga ordem de coisas chegaram à nova esperança, e não mais observam o Sábado, mas o vivo Domingo, em que a nossa vida se levantou (ou: ressuscitou) por meio dele e da sua morte) – Inácio aos Magnésios 9:1.
O interessante é Inácio usou a expressão Κυριακη (küriakê) distinguindo-o do Sábado! É a mesma palavra que está em Apocalipse 1:10.
 

2. “Barnabé, companheiro e colaborador de Paulo”, segundo Clemente de Alexandria (212 d. C.), e Orígenes (254 d. C.) foi quem escreveu a clamada “Epístola de Barnabé”, que foi encontrada nos manuscritos do NT Sináitico (o mais antigo [quase] completo em grego: IV séc. d.C.), por Tischendof em 1859 e no Gerusolemitano, por Bryennios em 1875. Seja realmente quem foi o seu autor, se foi o companheiro de Paulo ou um outro (Atos 12:25), o fato é que a referida epístola foi escrita entre os anos 105 a 135 d.C., poucas centenas de anos antes do imperador Constantino (IV séc. A. D.), é mais um a testemunhar o costume dos cristãos sobre a observância do Dia do Senhor (Dominicus = Domingo) nos seus dias:

   Ele (Deus) finalmente lhes disse: ‘Não suporto vossas neomênias (luas novas) e vossos sábados. (Is.1:13) Vede que ele quis dizer: não são os sábados atuais que me agradam, mas aquele que eu fiz e no qual depois de ter levado todas as coisas ao repouso, farei início do oitavo dia, isto é, o começo de outro mundo. (Heb. 4:4, 8,9) Eis  porque celebramos como festa alegre o oitavo dia, no qual Jesus ressuscitou dos mortos e, depois de se manifestar, subiu aos céus” (Epístola de Barnabé 15: 8, 9 – grifo e entre parênteses acrescentados)

O interessante é que ele, para dar destaque ao Domingo, chamou-o de “oitavo dia”, para distingui-lo do sétimo dia, ou seja, do sábado.
 

3. Justino, o Mártir, que viveu entre 100-167 d.C., descreveu o culto primitivo dos cristãos: “No Domingo há uma reunião de todos que moram nas cidades e vilas, lê-se um trecho das memórias dos Apóstolos e dos escritos dos profetas, tanto quanto o tempo permita. Termina a leitura, o presidente, num discurso, admoesta e exorta à obediência dessas nobres palavras. Depois disso, todos nos levantamos e fazemos uma oração comum. Finda a oração, como descrevemos antes, pão e vinho (suco de uva) e ação de graças por eles de acordo com a sua capacidade, e a congregação responde, Amém. Depois os elementos consagrados são distribuídos a cada um e todos participam deles, e são levados pelos diáconos às casas dos ausentes. Os ricos e os de boa vontade contribuem conforme seu livre arbítrio; esta coleta é entregue ao presidente (pastor) que, com ela, atende a órfãos, viúvas, prisioneiros, estrangeiros e todos quantos estão em necessidade” (Manual Bíblico, Halley – grifo acrescentado)


4.  Tertuliano: 160-220:
  Nós nada temos a haver com o Sábado, nem com outras festas judaicas e menos ainda com as celebrações dos pagãos. Nós temos as nossas próprias solenidades: O Dia do Senhor... (On Idolatry 14) – Destaques acrescentados. Em “De Oratione”(23). Tertuliano instou o povo de Deus a cessar o trabalho no Domingo por ser este um dia de culto ao Senhor.
 
Última página do Didaquê

5. O Didakhê (Didaquê), mais conhecido como Ensino dos 12 Apóstolos, escrito no primeiro século de nossa era (90-100) em siríaco, transcreve o seguinte:

1 - Κατά κυριακήν δε κυρίου συναχθέντες κλάσατε άρτον και ευχαριστήσατε, προεξομολογησάμενοι τα παραπτώματα υμών, όπως καθαρά η θυσία υμών η.
1 - Reúna-se no Domingo do Senhor para partir o pão e agradecer após ter confessado seus pecados, para que o sacrifício seja puro. (CAPÍTULO XIV:1)

Κατα κυριακην δε κυριου (Kata kuriakên dé kyriou), ou seja, "Com respeito ao [a cerca do] Domingo do Dominus (Senhor)...

Ver Atos 20:7
 

6.  Eusébio de Cesaréia (nasceu em 265 e faleceu em Cesareia Marítima, 30 de Maio de 339) foi bispo de Cesareia e é conhecido como o Pai da História da Igreja, pois seus escritos são um relato da história do cristianismo primitivo (Historia Ecclesiae) até o seu tempo.
 Eis o que ele falou sobre o costume dos primitivos cristãos em contraposição ao judaísmo:

v. 8.  "Não se preocuparam com a circuncisão corporal, como tampouco nós; nem da guarda do sábado, como tampouco nós; nem da abstenção destes ou daqueles alimentos, nem de afastar-se de tantas outras coisas, como Moisés deixou por tradição para que se cumprissem como símbolos, e que nós, os cristãos de agora, tampouco guardamos. Em troca, claramente conheceram ao Cristo de Deus que, como demonstramos antes, apareceu a Abraão, tratou com Isaac, falou a Israel e conversou com Moisés e com os profetas posteriores." (História Eclesiástica cap. IV:8 - De como o caráter da religião anunciada por Cristo a todas as nações não era novo nem estranho (verso 8). Destaque acrescentado.

Eusébio fala também do costume da seita herética ebionita que "esforçavam-se por honrar demasiadamente a observância da lei e acreditavam também que era necessário a todo custo rechaçar as Cartas do Apóstolo, a quem chamavam apóstata da lei":

v. 5.  "Da mesma forma que aqueles, observavam o sábado e tudo o mais da disciplina judaica. No entanto, aos domingos celebravam ritos semelhantes aos nossos em memória da ressurreição do Salvador."
v. 6.  "Daí, de tais práticas, veio-lhes a denominação que levam: o nome de ebionitas manifesta a pobreza de sua inteligência, pois com este nome se chama entre os hebreus aos pobres." (Cap. XXVII:5 [Da heresia dos ebionitas]
 

CONCLUSÃO


Estes são os mais antigos testemunhos, depois do Novo Testamento, que nos falam do Primeiro dia da Semana, como o dia do Descanso observado pelos cristãos. Não foi o imperador Constantino ou o Concílio de Nicéia (325 d.C.) que mudaram a guarda do sétimo dia para o primeiro dia, como enganam os sabatistas em geral, pois o referido concílio, presidido pelo dito imperador, apenas confirmou (ou oficializou) a data que por mais de três séculos era observado pelos cristãos do mundo inteiro, pois este queria agradar os mesmos e não contrariá-los. Estes são fatos históricos incontestáveis.

Hoje, os verdadeiros cristãos não guardam nenhum dia específico de forma legalista, pois para Deus todos os dias são iguais. Hoje nós consagramos o Primeiro Dia da Semana como primícia para Deus, como Ele sempre quis, pois somos como que primícias das suas criaturas (Tg. 1:18 / Lv. 2:14; 23:10, Rom.11:16, etc.) e não mais deixamos para Ele o último dia, pois este fazia parte da primeira criação e era um sinal de aliança do Velho Testamento, somente entre Deus e Israel (Deut.5:15), mas que foi quebrada por este último (Jer.31:31-32; Heb.8:8,9,13), o que deu lugar a uma Nova Aliança (Heb.8:6,7) onde a lei não foi escrita em tábuas de pedra (2Cor.3:6,7), mas foi impressa na mente e escrita no coração (Heb. 8:10,11), e por isso mesmo não há no Novo Testamento um mandamento específico sobre a guarda de qualquer dia, como havia com o sábado (Rom. 14:5,6). Ninguém pode nos julgar por não guardarmos o Sábado, pois ele era somente uma sombra do que havia de vir (Col.2:16,17). Jesus Cristo é o nosso Sábado (Descanso = Mat. 11:28) que no Primeiro Dia da Semana veio fazer uma nova criação, pois quem está em Cristo, é uma nova criatura (2Cor. 5:17) e Jesus é o Sol que nasceu em nossos corações (Lc.1:78,79).

DOMINGO: este é o outro dia do qual falou Josué. (Heb. 4:8)


Por: Luís Antônio Lima dos Remédios.
Luís - ܠܘܝܣ - לואיס - Λουις


PS.: Há ainda vários argumentos a serem acrescentados no meio do estudo.


_______________________________________________________
(*) Coloquei a pronúncia êtacista que corresponde a cada letra do nosso alfabeto, pois a pronúncia atual é chamada de iôtacista onde predomina o som da vogal "i" : ι=i, ει=i, η=i, υ=i. Outras diferenças: o dotongo ευ tem o som de EF (Δευτέρα = Deftéra); o β tem o som de "V" = εβδομάδας (evdomádas)


_________________________________________________________________


Estudos já postados:

01- O Novo Testamento NÃO Foi Escrito em Hebraico e/ou Aramaico

02- O espiritismo segundo [alguns] “evangélicos”

03- Adultério do Coração

04- Santa Ceia: vinho ou suco de uva?

05- O Dia do Senhor: Sábado ou Domingo?

06- O Que a Bíblia Diz Sobre a Idolatria

07- Deuterocanônicos ou Apócrifos?

08- A divisão das horas do dia nos tempos bíblicos

09- O Inferno

10- Deus e deuses

11- 30 Razões Porque Não Guardo o Sábado

12- O Nome JESUS

13- O Verbo era um deus?

14- A Divindade de Cristo negada entre colchetes

15- Cruz ou estaca de tortura?
http://cacerege.blogspot.com.br/2012/11/cruz-ou-estaca-de-tortura.html

16- YHWH – Um Nome que será esquecido para sempre
  
17- Alma, corpo e espírito

18- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 01- CAMELO ou CORDA?
http://cacerege.blogspot.com/2015/03/camelo-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

19- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 02- LEPROSO ou FAZEDOR DE JARROS?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/03/leproso-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

20- Paraíso Hoje ou Um dia?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/08/paraiso-hoje-ou-um-dia-lucas-2343.html

21- Adultério Virtual
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/02/adulterio-virtual_23.html

22- KeNUMÁ e os modalistas nazarenos

23- A Virgem Que Concebeu
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/04/a-virgem-que-concebeu.html


Obs.: É permitido a copia para republicações, desde que cite o autor e as respectivas fontes principais e intermediárias.

  
Por: Luís Antônio Lima dos Remédios

Luís - ܠܘܝܣ - לואיס - Λουις






Gostou? Comente.