Total de visualizações de página

sábado, 18 de outubro de 2014

Alma, Corpo e Espírito




ALMA, CORPO E ESPÍRITO





As Escrituras Sagradas falam de uma trindade humana: corpo+alma+espírito = vida (do homem, ser humano).

Mas alguém poderia dizer que o “espírito” é a mesmo que “alma”, somente um sinônimo. Mas tanto a língua portuguesa quanto e as línguas modernas que conheço fazem distinção entre as duas palavras. Até em hebraico e grego há essa distinção(*1), e as Escrituras Sagradas assim registram:



Jó 12:10 – “Na sua mão está a alma de todo ser vivente e o espírito de todo o gênero humano.



Salmos 31:9 - “Compadece-te de mim, SENHOR, porque me sinto atribulado; de tristeza os meus olhos se consomem, e a minha alma e o meu corpo.



Isaías 10:18 - “Também consumirá a glória da sua floresta e do seu campo fértil, desde a alma até ao corpo; e será como quando um doente se definha.



Mateus 10:28 - “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.



1 Ts 5:23 - “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.



Filipenses 1:27 - “Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica”.



Hebreus 4:12 - “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.





Existe sofrimento tanto físico quanto espiritual. Tanto a alma, quanto o espírito do homem têm sentimentos que são exteriorizados pelo corpo:



a) Alma



A Bíblia fala sobre “alma abatida dentro da pessoa (Salmos 42:5; 42:6; 42:11; 43:5); a alma dos rebeldes se aborrece dos estatutos de Deus (Levítico 26:43); a alma tem desejos (Deuteronômio 14:26; Eclesiastes 6:2; Isaías 26:8, 9), tem impaciência (Juízes 16:16), fica amargurada (1 Samuel 1:10; Jó 7:11; Isaías 38:15), se entristece (1 Samuel 2:33; Marcos 14:34), ama (1 Samuel 20:17; Lucas 10:27), deseja (2 Samuel 3:21), se angustia (2 Samuel 4:9; 1 Reis 1:29; Jó 30:25; João 12:27; Romanos 2:9), se aborrece (2 Samuel 5:8), se entedia (Jó 10:1), se cansa (Jeremias 31:25), sofre (Jó 14:22), se aflige (Levítico 16:29, 31; Jó 19:2), se perturba (Salmos 6:3), cobiça (Salmo 10:3), se contamina (Ezequiel 4:14), vai ao Sheol/Hades (Salmo 16:10; Atos 2:27) ou é remida do seu poder (Salmo 49:15), pode ser perdida (Mateus 16:26), pode ser restaurada (Salmo 19:7), se refrigera (Salmos 23:3); gloria-se no Senhor (Salmo 34:2), é resgatada por Deus (Salmo 34:22), se regozija (Salmo 35:9), suspira por Deus (Salmo 42:1), é cara a sua redenção (Salmo 49:8), tem sede de Deus (Salmo 63:1), se alegra (Salmos 86:4; Isaías 61:10), se satisfaz (Isaías 53:11), se farta (Isaías 58:11), teme (Atos 2:43), pode ser fortalecida (Atos 14:22), pode ser purificada (1 Pedro 1:22), salva (1 Pedro 1:9), etc.





b) Espírito



Da mesma forma o nosso espírito está dentro de nós (Isaías 19:3; 26:9; 57:16; Ezequiel 37:10; Daniel 7:15) e também tem sentimentos: se amargura (Gênesis 26:35; Provérbio 31:6), se perturba (41:8; Daniel 2:3), anseia (Êxodo 6:9), se endurece (Deuteronômio 2:30), se desgosta (1 Reis 21:5), angustia (Jó 7:11; Salmo 142:3), pode ser infiel (Salmo 78:8), pode ser dominado (Provérbios 16:32), se abate (17:22; Isaías 54:6; 57:15), pode errar (Isaías 29:24), pode ser soberbo e arrogante (Daniel 5:20); exulta (Salmo16:9), canta louvores (30:12), se quebranta (51:17), se desfalece (77:3), investiga (77:6), etc.



Mas alguém poderia dizer que o “espírito” é a mesmo que “alma”, somente um sinônimo. Mas como vimos acima tanto a língua portuguesa (e as línguas que conheço) quanto os originais da Bíblia em hebraico e grego fazem diferença entre as duas palavras.

Assim sendo, a Bíblia nos mostra que o corpo exterioriza todos os sentimentos da alma e do espírito. E quando o corpo sofre, a alma e o espírito sofrem; quando está em harmonia, o espírito e a alma também o estão, pois os três formam uma só pessoa, como pudemos ver nos exemplos acima.





Ainda sobre a alma:



Conforme já visto acima, a palavra "alma" em hebraico é נפש (NÉFESH), e ocorre 754 vezes no texto Massorético, e no NT grego, o seu correspondente ψυκη (PSYKHÊ), ocorre cerca de 102 vezes. Na maioria das vezes tem o sentido de "vida" simplesmente, e vários significados:



1. Ser (ou: criatura) vivente, animal (lat.: ANIMAL, ANIMALIS = que tem alma), como por exemplo: Gên. 1:20, 21, 24, 30; Ez. 47:9, etc. – o animal não tem espírito, somente alma. Daí, ser “animal”;



2. Alma vivente, pessoa: Gên. 2:7; 12:5; Êx. 1:5; At. 2:41, 43; Rom. 13:1, etc.;



3. Vida da própria pessoa: Gên. 35:18; Êx. 4:19; 21:23; 30:12; Jos. 9:24; Jó 2:4; Mat. 6:25; 10:39; Jo. 10:15; 13:38; 15:13; At. 20:10, etc.;



4. Mente (Psique): 1 Sam. 2:35; Sal. 24:4;



5. O "EU": Jer. 5:9; 6:8; 51:14 (por si mesmo, por sua alma);



6. Coração: Jer. 15:1; 32:41.



7. Sentimento; propósito: Fil. 2:2.




Agora, alma como vida espiritual, é distinta do corpo material (Sal. 42:5,6; Mat. 10:28; 1Tes. 5:23; Heb. 4:12) e é imortal:



1. A Alma está dentro da pessoa: "Por que estás abatida, ó minha alma? por que te perturbas dentro em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu." (Sal. 42:5; 43:5); também: Lam. 3:20



2. A alma pode ser pedida, e será de alguém: "Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado? Para quem será? (Luc. 12:20);



3. A alma dentro do corpo o vivifica, mas saindo ela, ele morre: Gên. 35:18; Atos 20:10; 2 Ped. 1:13-15, etc.



4. Deus tem alma(*2): 1Sam. 2:35; Sal. 11:5; Prov. 6:16; Isa. 1:14; 42:1; Jer. 12:7 (lit.: amada da minha alma); 14:19; Eze. 23:18; Am. 6:8 (por sua alma); Mat. 12:18; Heb. 10:38.



5. É a alma que vai ao inferno (Seol, Hades): Sal. 16:10; 30:3; 49:15; 86:13; 89:48; Prov. 23:14; At. 2:27, 31.



6. O Fim da fé é a salvação da alma (1Ped. 1:9);



7. As almas dos homens permanecem conscientes após a morte física:

  a) dos santos: clamaram a Deus em grande voz, e este lhes respondeu (Apoc. 6:9-11);

  b) dos ímpios: mesmo em tormentos no inferno, falam (Ez. 32:21; Luc. 16:23,24,27,28) e serão atormentados para sempre: Apoc. 14:10,11;

  c) os homens podem matar o corpo, mas não podem matar a alma, mas somente Deus pode fazer perecer lançando no geh-hinon tanto o corpo como a alma. (Mat. 10:28; Luc. 12:4,5).



NESHAMAH e NEFESH



As Escrituras Bíblicas nos ensinam que há dois tipos de alma no homem: A primeira é a “NESHAMA”, a alma divina, o fôlego da vida que Deus soprou nas narinas de Adão:



E formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou ( נפח = NAFAHH ) nas narinas o fôlego de vida ( נִשְׁמַת חַיִּים = NISHMAT HHAYYIM ), e o homem passou a ser alma vivente ( נֶפֶשׁ חַיָּה = NÉFESH HHAYYAH ).” (Gênesis 2:7) (*3)



Na verdade, há um espírito (RUAHH ) no homem, e o sopro (NESHAMA) do Todo-Poderoso o faz sábio.” (Jó 32:8)



O Espírito de Deus ( רוח־אל = RUAHH-EL) me fez, e o sopro ( נְשָׁמָה = NeSHÂMÂH ) do Todo-Poderoso me vivifica.” (Jó 33:4)



Se Deus pensasse apenas em si mesmo e para si recolhesse o seu espírito (RUAHH ) e o seu sopro (NESHAMA), toda a carne juntamente expiraria, e o homem voltaria para o pó.” (Jó 34:14)



Todo ser que respira (lit.: “Toda a neshamá”) louve ao SENHOR. Aleluia!” (Salmos 150:6)



A alma (neshamá) do homem é a lâmpada do SENHOR, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do ventre.” (Provérbios 20:27)



Pois não contenderei para sempre, nem me indignarei continuamente; porque, do contrário, o espírito (ruahh) definharia diante de mim, e o fôlego da vida (neshamá), que eu criei.” (Isaías 57:16)



Outros: Gênesis 7:22; Deuteronômio 20:16; Josué 10:40; Jó 26:4; Jó 37:10; Isaías 2:22; 30:33; 42:5; Daniel 10:17, etc.





O segundo tipo, resultado da primeira é a alma carnal ou "alma animal" ou ( נֶפֶשׁ הַבְּהֵמָה = Nefesh HaBehamit), contida no sangue como diz a Torá: “Porque a alma (nefesh) da carne está no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, porquanto é o sangue que fará expiação em virtude da alma.” (Levítico 17:11)



Esta alma animal influencia o homem natural a satisfazer suas paixões carnais, o afastando do plano espiritual. Paulo se referiu a isso ao chamar o primeiro homem, Adão, de “alma vivente” (gr.: ψυχην ζωσαν [psikhê zôsan] / heb.: נֶפֶשׁ חַיָּה [néfesh hhayyâh] ) (1 Coríntios 15:45 / Gênesis 2:7), e, por isso, tinha um corpo psíquico [ψυχικος], animal (vs. 45, 46), onde é traduzido em algumas bíblias por “natural” (psíquico não tem nada a haver com poderes mentais, como é divulgado por aí). É por isso que “o homem natural (psíquico, animal) não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. (1 Coríntios 2:14). Assim sendo, após a queda de Adão, a natureza “animal” (ánima = alma)* do homem sempre tende para o mal, e quando este o controla totalmente passa a ser animalesco (Mat. 15:19; Tt 1:12 ; Tg 3:15; 1 Pd. 2:12-22; Jd. 10-19) o que a Torá chama a isso de Yetzer Hará (má inclinação, mau desígnio) - Gênesis 6:5.



Contrastando com o Yetzer Hará temos o Yetzer Tov, que é a "boa inclinação", onde a Neshamá expressa o fruto do espírito (ruahh) que, ao nascer de novo (Jo 3:3; Gl. 5:22, 23), agora controla a alma (mente, vontade e emoção) restaurada permanecendo aí a divina semente (1 Pd. 1:23; 1 Jo. 3:9).



Como a alma animal está no sangue (Levítico 17:11), “carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus” (1Co. 15:50), pois quando o homem é regenerado deixa de ser “almal” (animal, psíquico), passa a ser espiritual (pneumático), como podemos ver em contexto antecedente ao verso 50 de 1 Coríntios 15:



E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes, e outra, a dos terrestres.

Uma é a glória do sol, e outra, a glória da lua, e outra, a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela.

Assim também a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscitará em incorrupção.

Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.

Semeia-se corpo animal (psíquico), ressuscitará corpo espiritual (pneumático). Se há corpo animal (psíquico), há também corpo espiritual (pneumático).

Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão, em espírito vivificante.

Mas não é primeiro o espiritual, senão o animal; depois, o espiritual.

O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.

Qual o terreno, tais são também os terrenos; e, qual o celestial, tais também os celestiais.

E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.

E, agora, digo isto, irmãos: que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção.” (1ª Cor. 15:40-50)





Prova que Deus colocou uma alma imortal ao criar o homem:



Algumas seitas ensinam que a morte não foi prevista no plano original de Deus, a queda pegou Deus desprevenido e Ele teve que refazer Seu plano. (?) Ora, se o Cordeiro de Deus já havia sido imolado desde a fundação do mundo! (Apocalipse 13:8). Já estava tudo na mente de Deus. No livro de Deus “foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.” (Salmos 139:16)



O Senhor Jesus falou da possibilidade do homem se lançado no Geena, “onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga” (Marcos 9:48), que é o mesmo “fogo eterno preparado, preparado para o diabo e seus anjos.” (Mateus 25:41). Para que haveria um “fogo eterno”, se não seria o bastante queimar, acabar e apagar? No Geena de Deus não só o corpo perece, mas também a alma:



Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.” (Mateus 10:28)





O tormento é eterno:



A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome.” (Apocalipse 14:11)



Depois da grande batalha, a besta e o falso profeta serão lançados vivos no lago de fogo (Apocalipse 19:20) assim como o diabo, o sedutor dos ímpios será lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontrarão não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos. (cap. 20:10)



Assim sendo, é bíblica a doutrina do tormento eterno e é na Bíblia que eu creio e não no que os erudito pensam quando a contrariam com suas filosofias humanisticas vãs.



A palavra grega Γεεννα (GEENNA) é uma transliteração grega do hebraico     גֵּיהִנֹּם (GEH HINNON = Vale de Hinom) que tem sua equivalência na Peshitta Aramaica:  ܓ݂ܹܗܲܢܵܐ (גִהַנָא  = G.IHANĀ’)., que é uma ravina ao sul, fora das muralhas de Jerusalém, onde, em tempos antigos, israelitas idólatras sacrificavam seus filhos no fogo, em honra Moloque, uma entidade demoníaca cananéia. Esta prática foi abolida pelo bom rei Josias, que profanou o altar de Moloque, poluindo-o, evitando assim futuros sacrifícios. (2 Reis 23:10) Mais tarde esta localidade foi transformada em depósito de lixo da cidade, onde posteriormente passaram a ser depositados cadáveres de criminosos e carcaça de animais, pois havia fogo constante sendo alimentado por meio de enxofre, a fim de se evitar pestilências. Mas, a despeito do calor intenso, havia vermes em abundância em tais corpos, somente morrendo após os consumirem por completo.

O Senhor, ao referir-se à condenação eterna, usou a palavra Geena por ser esta conhecida de seus ouvintes, mas não se referia propriamente ao Vale de Hinon, mas ao Inferno de fogo, com a diferença que “o seu verme não morre e o fogo não apaga”(*4), (Mar. 9:43-47).



Atualmente, no Vale de Hinon, há um lindo jardim, em nada lembrando a antiga lixeira incandescente. Assim sendo, quando o Senhor Jesus referiu-se à Geena, não estava referindo-se propriamente a esta localidade, pois Ele disse que não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga, (Mar.9:48) e o fogo do Vale de Hinon há séculos está extinto. Logo, o Senhor referiu-se à condenação futura no Inferno de fogo, depois da grande ressurreição. (Mat. 10:28; Luc. 12:5; Apoc. 14:10, 11; 20:13-15; 21:8)





__________________________________________________________



Notas:

(*) 1- Alma" (do latim: ANIMA) em hebraico é נפש (NÉFESH) e em grego é ψυκη (PSYKÊ);

 2- Espírito (do latim: SPIRITUS) em hebraico é רוח (RUAHH) e em grego é πνευμα (PNEUMA)



(*2) Certamente trata-se de um antropomorfismo, ou seja, Deus usando a linguagem humana para melhor comunicar seus sentimentos aos humanos



(*3) Cada animal, ao ser criado, foi chamado pela Torá de “alma vivente” ( נֶפֶשׁ חַיָּה = NEFESH HHAYYÂH ) - Gênesis 1:20, 21, 24, 30; da mesma forma, quando Deus soprou a neshamá nas narinas do homem, este passou a ser também uma “alma vivente” (2:7).



(*4) A partir de 1975, cientistas têm estudado, nas profundezas marítimas, através de mini-submarinos, a presença de verme gigantes conhecidos como verme tubulares, que podem medir alguns centímetros até 3 metros de comprimento vivendo ao redor de rachaduras e vulcões (chaminés) abissais, suportando altíssimas temperaturas. Por não terem sistema digestivo, no interior destes vermes há bactérias super resistentes que transformam gás sulfuroso (enxofre) e materiais decompostos, em alimento para os mesmos. Embora da crosta terrestre até o fogo a distância seja de 50 milhas, em alguns lugares do Oceano Pacífico esta distância pode chegar a uma milha!



 


Por: Luís Antônio Lima dos Remédios - IPM
luis-agape@hotmail.com
cacerege@gmail.com
Manaus - Amazonas - Brasil


______________________________________________________





Estudos já postados:

01- O Novo Testamento NÃO Foi Escrito em Hebraico e/ou Aramaico

02- O espiritismo segundo [alguns] “evangélicos”

03- Adultério do Coração

04- Santa Ceia: vinho ou suco de uva?

05- O Dia do Senhor: Sábado ou Domingo?

06- O Que a Bíblia Diz Sobre a Idolatria

07- Deuterocanônicos ou Apócrifos?

08- A divisão das horas do dia nos tempos bíblicos

09- O Inferno

10- Deus e deuses

11- 30 Razões Porque Não Guardo o Sábado

12- O Nome JESUS

13- O Verbo era um deus?

14- A Divindade de Cristo negada entre colchetes

15- Cruz ou estaca de tortura?
http://cacerege.blogspot.com.br/2012/11/cruz-ou-estaca-de-tortura.html

16- YHWH – Um Nome que será esquecido para sempre
  
17- Alma, corpo e espírito

18- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 01- CAMELO ou CORDA?
http://cacerege.blogspot.com/2015/03/camelo-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

19- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 02- LEPROSO ou FAZEDOR DE JARROS?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/03/leproso-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

20- Paraíso Hoje ou Um dia?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/08/paraiso-hoje-ou-um-dia-lucas-2343.html

21- Adultério Virtual
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/02/adulterio-virtual_23.html

22- KeNUMÁ e os modalistas nazarenos

23- A Virgem Que Concebeu
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/04/a-virgem-que-concebeu.html


Obs.: É permitido a copia para republicações, desde que cite o autor e as respectivas fontes principais e intermediárias.




Luís - ܠܘܝܣ - לואיס - Λουις



Gostou? Comente.




terça-feira, 1 de abril de 2014

YHWH - Um Nome Que Será Esquecido Para Sempre




יהוה – Um Nome Que Será Esquecido Para Sempre





 Publiquei este texto em 23 de julho de 2006 em uma de minhas comunidades do Orkut.


Embora o nome YHWH (Iavé), nos tempos do V.T., fosse conhecido em toda a terra, pelos povos que tiveram contato ou ouviram falar dos hebreus (Êx. 9:16; Sl. 96:1-3, etc.), esse nome, após o cativeiro babilônico, começou a ser substituído por palavras hebraicas correspondente a  “Deus” ou “Senhor” ou, quando se fazia referência a Ele, os judeus falavam Ha-Shemi (O Nome), entre outros. Isto aconteceu pelo fato de a língua hebraica começar a ser substituída pouco a pouco pela aramaica (idioma internacional da época), pois o povo recém chegado do cativeiro estava mais familiarizado com o idioma dos seus antigos dominadores, que com o seu idioma pátrio, ao ponto deste ser falado somente no templo, pelos chefes religiosos, tendo-se tornado um “idioma sagrado”, a tal ponto de as Escrituras Sagradas, quando lidas em hebraico, serem parafraseadas em aramaico por ser este falado pelo povo em geral. Uma prova disto é que, quando o povo voltou do exílio, o sacerdote Esdras, ao ler o Livro da Lei aos judeus reunidos em Jerusalém, precisou de diversos levitas para explicarem o significado das palavras lidas. (Ne. 8:7,8) Aqui não se trata de uma simples explicação do texto lido, como fazemos em nossas pregações, pois o original dar a entender que “eles iam lendo o Livro da Lei e traduzindo”, conforme verte a Bíblia na Linguagem de Hoje, que acrescenta uma nota de rodapé dizendo: “A Lei estava escrita em hebraico, mas na Babilônia os judeus haviam começado a falar o aramaico. Por isso era necessária a tradução.
Abrindo parêntesis, podemos ressaltar o seguinte: antes do cativeiro babilônico, o povo em geral não entendia o aramaico (que é o siríaco – Os gregos chamavam o idioma aramaico de “siríaco”, pois chamavam a terra de Harã de “Síria”), mas somente alguns líderes do povo. (II Reis 18:26, 27; Isaías 36:11, 12). Após o cativeiro, os papéis se inverteram, e o “povão” entendia somente o aramaico, e hebraico era entendido somente pelos líderes do povo. (Nee. 8:8)

Embora os judeus houvessem esquecido o seu idioma original (o hebraico), e passarem a falar o aramaico (siríaco), o povo em geral chamava este último de hebraico e, conforme crêem muitos eruditos, já no início do primeiro século d.C., havia uma mistura dos dois idiomas, não sendo nem o hebraico nem o aramaico puro. E esta era a forma de aramaico (chamada de “hebraico”) falada pelos hebreus nos tempos do N. T., e, por conseguinte, por Jesus e seus discípulos, como podemos observar nestes pontos abaixo:

1. Várias expressões registradas no N.T. nos revelam que o Senhor Jesus falava aramaico, fato pelo qual, Marcos, ao registrá-las, traduziu-as: Mar. 3:17 Boanerges (בֲּנֵי רֶגֶשׁ BeNÊ RÉGESH); 5:41 Talitá cumi (טַלְיְתָא קוּמִי TALITHA KUMI); 7:34 Efatá (אִפַּתַּח (EFATHAHH); 14:36 Aba (אַבָּא ABBA); 15:34 Eloí, Eloí, lamá sabactâni (אַלָהי אַלָהי לְמָה שׁבַקתָּני  ’ELOÍ, ’ELOÍ, LeMÁ SH'BHAKTANI) – Marcos registrou estas palavras conforme o idioma falado, ou seja, o aramaico, e Mateus as registrou em hebraico antigo, conforme citação original do Salmo 22:1, pelo Senhor, fato pelo qual os judeus, por não entenderem o hebraico antigo, pensaram que Ele chamava por Elias (Mat: 27:47). Compare Mat. 27:46 com Mac. 15:34.;

2. בַּר  (BAR) - palavra aramaica correspondente à hebraica בֵּן (BEN), significa “filho” ou “filho de”, era usada mais ou menos como um sobrenome, ou nome de família, sendo uma designação distintiva, para indivíduos com o mesmo nome. Assim, originaram-se vários nomes: (1) Barrabás (BAR ABBA = filho do “Pai”, possivelmente de um rabino) tinha por nome Jesus (ou Josué) Barrabás, (conforme é mantido por alguns manuscritos em Mat. 27:16 – Nestlé Alland.) para diferenciá-lo de Jesus, chamado Cristo; (2) Bartimeu (filho de Timeu [honroso] – Mar. 10:46); (3) Barnabé (filho da consolação ou exortação – At. 4:36); (4) Barsabás (filho de Sabá [exaltação] - At. 1:23; 15:22), etc.;

3. O próprio nome de Simão Bar-Jonas (בַּר־יוֹנָה  [BAR YONAH] = filho de Jonas ou João - Mat. 16:17) foi mudado por Jesus para Cefas (aram.: כֵּיפָא  [KEFA’] = pedra), que é Petros (Pedro) em grego. Jo. 1:42; I Co. 1:12, etc.

4. Topônimos – nomes de lugares: (1) Betesáida (בֵּית־צָיְדָה   [BETH-TSAIDAH] = casa de pesca) ou Betesda ( בֵּית־חַסְדָּא [BETH-HHASDA’] = casa de misericórdia ou - Jo. 5:2); (2) Gábata (גַּבְּתָא [GABB'THA] = Pavimento - Jo. 19:13; (3) Gólgota (גָּלְגָּלְתָּא [GOLGOTHA’] (- crânio, caveira - Jo. 19:17); (4) Rabôni (רַבּוּנִי  [RABBUNI] (= meu Mestre), aparentado com o hebraico Rabí (רַבִּי) - João. 20:16, etc.


Fechando parêntesis, voltando ao assunto do antigo nome יהוה (YHWH), após o cativeiro, e especificamente depois da independência macabaica, o Nome começou a ser evitado pelos judeus de fala aramaica e, quando este idioma finalmente suplantou o hebraico, o Nome somente poderia ser pronunciado no grande templo de Jerusalém. A própria escrita hebraica original deu lugar à escrita conhecida como ashurith (assíria) quadrada (hoje erroneamente conhecida como "hebraica") e todo o TaNaKh (Antigo Testamento hebraico) foi copiado com esses novos caracteres pagãos assírios. De início somente o Sagrado Tetragrama foi preservado na escrita hebraica original (proto-hebraico) - vide a figura ao lado- mas depois até o Nome sagrado foi transliterado para o novo alfabeto.
Pelo fato de o idioma hebraico original começar a ser esquecido, pelo povo em geral, e o aramaico ter tomado o seu lugar, tornou-se necessário que fossem feitas versões parafraseadas das Escrituras Sagradas para este idioma, que ficaram conhecidas por Targuns, sendo mais famosos os Targuns de Onquelos, e os Papiros Elefantinos, sendo este último, pertencentes aos judeus de uma colônia no Egito, provando que a língua oficial desta colônia era o aramaico.
Ao serem as Escrituras traduzidas para o aramaico e, principalmente para os Targuns, o Tetragrama יהוה passou a ser um “digrama”, ou seja, passou a ser representado por um duplo iôd ( יי = YY), mas o seu qêre (sua leitura) deveria ser MARÁ´ (Senhor – Dan. 5:23). Quando séculos depois foi pontuado pelos massoretas com vogais artificiais, ficou a leitura do “digrama” como YeYa, mas para ser pronunciado: ADONAY.

Assim sendo, o Nome YHWH deixou de ser pronunciado, a ponto de Flávio Josefo, historiador judeu do primeiro século d.C., ao narrar o encontro de Moisés com Deus, na sarça ardente, escreveu que Moisés agradeceu a Deus pelo fato d’Este “ter-se dignado fazê-lo ouvir a Sua voz, a lhe dizer Seu nome, a fim de que ele pudesse melhor invocá-lo quando lhe oferecesse um sacrifício. Deus concedeu-lhe esse favor, que jamais havia feito a qualquer outra pessoa deste mundo; mas não me é permitido repetir qual é esse nome.” (História dos Hebreu - Antiguidades Judaicas, livro II, cap. 5, verso 91, parte final – * História dos Hebreus, volume único, CPAD – Brasil, 1ª edição, 1992.)

Eis o motivo pelo qual a Josefo não ser permitido repetir o Nome:

A Mishná judaica, uma coleção de ensinos e tradições rabínicas antigas (tradição dos ancião – Mat. 15:2,3) que foram terminadas entre os séculos II e III d.C., provavelmente pelo rabino Judá, o Príncipe, nos informa de algumas ocasiões em que era permitido ou não o Nome YHWH ser pronunciado:

(1) No Dia da Expiação, somente pelo Sumo Sacerdote e, quando este O pronunciava, “os sacerdotes e o povo em geral, quando O ouviam, prostravam-se ajoelhados e diziam: ‘Bendito o Nome da glória do seu reino para todo o sempre!’” (Yoma 6:2);

(2) Sobre as bênçãos sacerdotais diárias, reza a dita Mishná: “o Nome era pronunciado, como estava escrito, somente no Templo, mas nas províncias, era usada uma palavra substituta” (Sotah 7:6);

(3) No julgamento de um blasfemador, este somente seria culpado se houvesse pronunciado o Nome, e a testemunha que o ouvira falar era levada em particular e repetia o que ouvira, para que os juizes tivessem certeza se o blasfemador pronunciara ou não o Nome (Sanhedrin 7:5);

(4) Neste mesmo livro, cap. 10:1, ao alistar aqueles “que não têm parte no mundo vindouro”, “Abba Saul diz: Também aquele que pronunciar o Nome com as suas letras corretas

E assim, o Tetragrama, com a sua pronúncia original somente poderia ser falado no Templo de Jerusalém uma vez por ano, pelo sumo sacerdote, e nas sinagogas em geral, era usada uma palavra substituta, quer seja: “O Nome”, “Senhor” ou “Deus”, em hebraico ou vernáculo. Logo, é falso o argumento russelita, entre outros, de que o Tetragrama era pronunciado no tempo do N.T. e, por conseguinte, contido neste, onde a “tradução” Novo Mundo dos TTJ o acrescenta 237 vezes na forma errada “Jeová”, que é a transliteração de Yehowah, inventada pela superstição massorética no séc. 8º A.D., e perpetuado ignorantemente por uma boa parte da cristandade. (Mar. 7:9, 13; Col. 2:8)
Com a destruição do templo, no ano 70 d.C., o Nome deixou de ser pronunciado na sua forma correta, até que perdeu-se, entre os judeus, a sua pronúncia.

יהוה (YHWH, IHVH) - não se sabe como era pronunciado?

ideia de que “Ninguém sabe o nome original יהוה (IHVH) e nem sua pronúncia” foi uma mentira inventada pelos religiosos judeus para que o Tetragrama não fosse pronunciado, e tal mentira é perpetuada pelos testemunhas-de-jeova, e muita gente acredita.

Não era objetivo dos judeus chamarem o Criador pelo nome de YEOVÁ (ou JEOVÁ), pois esta forma é uma corrupção da pronúncia do Tetragrama, feita pelos judeus massoretas do oitavo século d.C., para que não fosse pronunciado, pois onde encontrava-se o Tetragrama, ao pontuarem com vogais artificiais o texto hebreu (pois originalmente era escrito somente com consoantes), ao invés da pronúncia original, eles fizeram dois acréscimos vocálicos distintos ao Tetragrama (YHVH):

1º. - acrescentaram as vogais de 'AeDoNaY : ADONAI = SENHOR, ou seja, e, O, A, originando as formas: YeHoVaH ou YeHVaH, para que o leitor pronunciasse “ADONAY”;

2º. - ou acrescentaram as vogais de 'ELoHîM = DEUS, ou seja, E, O, I, originando as formas YeHoViH ou YeHViH, para que fosse pronunciada como ELOHIM), quando “ADONAY” acompanhava o Tetragrama, para que não houvesse uma repetição fonética de “ADONAY ADONAY”.


Provas

Daremos a seguir, provas históricas e filológicas sobre a pronúncia do Tetragrama.

O Tetragrama יהוה (YHWH, IHVH) é uma forma verbal composta, no modo do incompleto (futuro), terceira pessoa do masculino singular, e vem da raiz הוה ( HAVAH - terceira pessoa do perfeito ou completo), que é a forma arcaica do verbo היה  ( HAYAH = SER), pela junção dos tempos היה (haYAH = ele ERA) com הוה (hoVEH = ele É), originando o Nome יהוה ( YAHVEH, IAVÉ = ELE-SERÁ, ou AQUELE-QUE-SERÁ). O próprio Deus (’ELOHIM) foi quem assim se deu a conhecer a Moisés, em Horebe, quando este Lhe perguntou seu Nome, e a Sua resposta foi: "EU SOU O QUE SOU (heb.: אהוה אשר אהוה ou אהיה אשר אהיה ’EHYEH ASHER ’EHYEH ) - lit.: EU SEREI O QUE SEREI). Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU (ou: EU SEREI = אהיה  EHYEH, antigo: אהוה EHWEH) me enviou a vós outros." (Êx. 3:14) E, no verso 15, acrescenta: "Disse mais Deus a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: JAVÉ ( יהוה – YaHWeH ) , o Deus de vossos pais..." (trad. livre).
E assim vemos que no verso 14, Deus usa a primeira pessoa do singular do verbo "ser", para o seu Nome, mas no verso 15, Ele usa a 3ª pessoa no mesmo tempo, modo e voz, imortalizando esta forma verbal, como um dos seus nomes, que em hebraico antigo era pronunciado como IAVÉ, e transliterado para o português como JAVÉ, da mesma forma que o IESUS grego é transliterado JESUS.


Preservação

A pronúncia original foi preservada pelos primitivos pais da Igreja, como por exemplo, o bispo Clemente de Alexandria (do III séc. A.D.), que nos disse que o Nome era pronunciado Υαυε (YAUE) e Teodoreto de Chipre do IV séc. A.D., escreveu que os samaritanos o pronunciavam Υαβε (YABE = IAVÉ). Isto aconteceu pelo fato de o grego não conter a letra “V”, e as transliterações de nomes próprios de outros sistemas alfabéticos, que continham o som do nosso “V”, terem como substitutos gregos aproximados, as letras “υ” (υο) ou “β”, com o nosso som de “V”, da mesma forma que o nome próprio DAVID (Davi) é escrito em grego: Δαουιδ, Δαυιδ (DAUID) ou Δαβιδ (DABID), pois o “OU” (U) ou o “B” supriam a falta da letra “V”. Compare Mat.1:1 no grego de Nestlé-Alland com o de Westcott-Hort.
Assim sendo, a pronúncia original do Nome era “IAVÉ”, tendo a sua forma aportuguesada como JAVÉ, da mesma forma que o IESUS grego é transliterado JESUS.


יהוה ישוע

O próprio Deus Javé já havia profetizado a Isaías a respeito do seu novo Nome:

“Por isso, o meu povo saberá o meu nome; portanto, naquele dia, saberá que EU SOU (heb.: ANI-HU’; gr.: EGÔ EIMI ) quem fala: Eis-me aqui.” (52:6).

Como vimos, o Tetragrama יהוה (YHWH, IHVH) significa literlamente: EU-SEREI, apontando para um acontecimento futuro.

"Ele Será o que, ou Quem?". Pelo fato de o verbo estar no incompleto, teria que ser "completado", ou seja, ter o seu cumprimento em alguém e em algum lugar no tempo. Isto cumpriu-se na plenitude dos tempos em JESUS CRISTO, pois Ele disse ao judeus: "Antes que Abraão existisse, EU SOU (gr.: ΕΓΩ ΕΙΜΙ - EGÔ EIMI [João 8:58], heb.: אני הוה - ANI HOVÊ), e a Paulo: ΕΓΩ ΕΙΜΙ ΙΗΣΟΥΣ [EGÔ EIMI IÊSUS = EU SOU JESUS] (Atos 9:5).

Eu sou (EGÔ EIMI) o pão da vida... (Jo. 1:23; 6:48);
Eu sou (EGÔ EIMI) o pão vivo que desceu do céu. (cap. 6:41; 51);
Eu sou (EGÔ EIMI) a luz do mundo (cap. 8:12);
Eu sou (EGÔ EIMI) lá de cima (cap. 8:23);
Eu sou (EGÔ EIMI) a porta das ovelhas... (cap. 10:7);
Eu sou (EGÔ EIMI) a porta... (cap. 10:9);
Eu sou (EGÔ EIMI) o pastor o Bom Pastor... (cap. 10:11 e 14);
Eu sou (EGÔ EIMI) Eu sou a ressurreição e a vida. (cap. 11:25)
Eu sou (EGÔ EIMI) o caminho, a verdade e a vida ; ninguém vem ao Pai senão por mim.
(cap. 14:6);
Eu sou (EGÔ EIMI) Jesus, a quem tu persegues (Atos 9:5).

Outros:

Disse-lhe Jesus: Eu Sou (EGÔ EIMI), o que fala contigo. (João 4:26)
Se não crerdes que Eu sou (EGÔ EIMI), morrereis nos vossos pecados. (cap 8:24);
Quando levantardes o Filho do Homem, então, sabereis que Eu Sou (EGÔ EIMI) (verso 28);
Amén, amén, eu vos digo: antes que Abraão existisse, Eu Sou (EGÔ EIMI). (verso 58);

Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se e perguntou-lhes: A quem buscais?
Responderam-lhe: A Jesus, o Nazareno. Então, Jesus lhes disse: Eu Sou (EGÔ EIMI). Ora, Judas, o traidor, estava também com eles.
Quando, pois, Jesus lhes disse: Eu Sou (EGÔ EIMI), recuaram e caíram por terra. (João 18:4-6)

É por esse motivo que o Nome יַ הְ וֶ ה YAHWEH (IAVÉ = ELE-SERÁ, ou AQUELE-QUE-SERÁ) deixou de ter sentido a partir do Novo Testamento (e nele não se encontra), pois este Nome cumpriu-se no Messias Jesus quando disse: EU SOU. Em aramaico: ܐܢܐܐܢܐ 'ENA 'NA' (Ena = Eu, Ana = Sou).


Não se encontrava em grego

Porque o Tetragrama não se encontrava em grego:

1. Uma prova de que o Tetragrama não se encontrava em nenhum manuscrito original do N.T. é que nenhum dos mais de cinco mil manuscritos gregos distintos (completos ou em fragmentos) o Nome foi encontrado, e nenhum dos primitivos escritores eclesiásticos (“pais da igreja”) fez qualquer citação incluindo-O, pois suas citações reportam à escrita original do N.T.


2. Todos os fragmentos da LXX (Septuaginta – uma tradução do Antigo Testamento
Nahal Hever - Profetas Menores (8HevXIIgr) Hab 2-3
 
para o grego), o Targum Shevi'im (Tradução dos Setenta), produzidos antes do segundo século,  contêm o Tetragrama e o inclui em suas várias formas hebraicas arcaicas, e não em grego como era de se esperar. A razão disso é que ela foi produzida por judeus, e por séculos foi utilizada por judeus helenos, que se acostumaram a suprir a pronúncia do Tetragrama pelos nomes SENHOR ou DEUS, tanto nos seus equivalentes hebraicos e aramaicos, como gregos. Quando a LXX começou a ser copiada por copistas cristãos, estes substituíram o Tetragrama pela palavra grega Κυριος (Kyrios = Senhor), a exemplo do Novo Testamento. O Novo Testamento tem uma mensagem universal, e a língua universal da época era o grego. Além do mais, os escritores sacros do NT jamais poderiam ter escrito o Tetragrama no NT grego pelo seguinte motivo: somente uma letra do Tetragrama "YHVH" hebraico, tem o seu equivalente em grego, ou seja, o "Yod" com o "Iôta". As três restantes (HVH) não têm correspondentes gregos satisfatórios;


3. O NT, por ser universal, não poderia conter caracteres que seriam desconhecidos para outros povos, pois como eles entenderiam uma mensagem tal como esta, por exemplo: "Aquele que invocar o nome de יהוה será salvo". Ora, somente os judeus (ou algum estudioso gentio) saberiam de que nome se tratava (embora não mais soubessem a sua pronúncia correta) mas, para os demais, a frase não teria sentido, fato pelo qual os escritores sacros inspirados muito bem o traduziram (KYRIOS = SENHOR); pela forma equivalente conhecida: ΚΥΡΙΟΣ

4. Há, atualmente, mais de cinco mil manuscritos do NT grego no todo ou em parte (alguns antiqüíssimos datados entre o 1º e o 2º século), e nenhuma deles contêm o Tetragrama, o que fatalmente conteria se Ele ali estivesse;


Cravado na Cruz

O próprio Tetragrama יהוה (YHVH, IHVH, ou YHWH) estava cravado na cruz do Senhor Jesus Cristo, pois fazia parte das iniciais da acusação em hebraico da sua epígrafe, segundo o Evangelho do apóstolo João:
 ישוע הנצרי ומלך היהודים (YESHUA' HANATSRI WMELEKH HAIeHUDIM), que traduzido é: (Y) Jesus (H) O Nazareno (W) E Rei de (H) Os Judeus. (Jo. 19:19)
Ao observarem esta realidade, os principais sacerdotes quiseram mudar a forma da inscrição, o que não lhes foi permitido (versos 20 a 22).
Assim sendo, o Tetragrama YHVH deixou de ter sentido no Novo Testamento, pois Deus não mais SERÁ (YiHVeH), mas ele É (HoVeH), JESUS, o Cristo Deus que se fez ser humano (Jo. 1:1, 14), É o Deus unigênito (Jo. 1:18), É a imagem visível do Deus invisível (Col. 1:15), É a expressão (gr.: KARAKTER) exata do ser do Pai (Heb. 1:3), "porquanto nEle habita corporalmente toda a plenitude da Divindade" (Col. 2:9), etc., etc., etc.
Os judeus do Antigo Pacto faziam (e ainda fazem) uma invocação a Deus dizendo que Ele é "Aquele que ERA (HaYaH), que É (HoVeH), e que SERÁ (YiHYeH), antigo: YiHVeH = YHVH). Mas, no Novo Pacto, os cristãos verdadeiros assim invocam: "Aquele que ERA, e que É, e que VEM" (Apoc. 1:8; 4:8) mudando o tipo de verbo no futuro, pois Ele não mais SERÁ, mas Ele É JESUS, O DEUS-CONOSCO, e que VEM nas nuvens com poder e grande glória. (Mat. 24:30; Ap. 1:7, 8)

É por esse motivo que O NOME יהוה ( YHWH ) SERÁ ESQUECIDO PARA SEMPRE.


O NOME É JESUS!

Embora o Nome YHWH, no hebraico da Velha Aliança ou Velho Pacto, seja o maior Nome já revelado aos antigos, com cerca de 6.828 vezes o número total de suas ocorrências, na Nova Aliança ou Novo Pacto, o maior nome já revelado em todos os tempos é o Nome de Jesus Cristo. Como disse o autor da Epístola aos Hebreus, quando ele diz Nova, torna antiquada a primeira. Ora, aquilo que se torna antiquado e envelhecido, está prestes a desaparecer. (8:13)
E isto esta acontecendo com o nome revelado no Antigo Pacto, ou seja, YHWH, pois como reconhecem os testemunhas-de-jeova: “ninguém hoje pode saber com certeza como era pronunciado originalmente em hebraico (Raciocínio à base das Escrituras”, pág. 206). E em Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra: <<Portanto, o problema hoje é que não temos meios de saber exatamente que vogais os hebreus usavam junto com as letras IHVH>> (cap. 4, parág. 22). E concluem: <<Não se sabe exatamente como era pronunciado, embora alguns eruditos achem que "Javé" (Iahveh) seja a forma correta. Se os TJ não sabem a pronúncia do Tetragrama, como chamam o Criador pelo apelido “Jeová?
Embora os judeus saibam como era a pronúncia exata de todos os nomes próprios e palavras do VT hebraico, o antigo nome de Deus não sabem com certeza, e nem querem saber, por medo da maldição lançada pelos antigos. A verdade é que, embora tenhamos meios de saber como era a Sua pronúncia original, este nome, no Novo Pacto, perdeu o seu sentido, provando assim que Ele está preste a desaparecer (Heb. 8:13).


O NOME

Logo, o NOME (HA-SHEM) QUE AGORA ESTÁ ACIMA DE TODO NOME É JESUS (Fil.2 9-11), seja em que idioma for:

וקראת את־שמו ישוע (hebraico);
ותקרא שמא ישוע (aramaico);
και καλεσεις το ονομα αυτου ΙΗΣΟΥΝ [ ΙΗΣΟΥΣ ] (grego);
e lhe porás o nome de JESUS (português);
y llamarás su nombre JESÚS (espanhol);
and thou shalt call his name JESUS (inglês);
ti do t’i vësh emrin JEZUS (albanês);
oyo okobenga nkombo na ye YESU (bengalês);
ug siya imong paganganlan si JESUS (cebuano-[Filipinas]);
ºi-i vei pune numele ISUS (cornilescu romaniano);
Wa rele l’ JEZI (creole-Haiti);
og du skal kalde hans Navn JESUS (dinamarquês);
Ja hän antoi hänelle nimen JEESUS. (finlandês);
e tu gli porrai nome GESÙ (italiano);
et tu lui donneras le nom de JÉSUS (francês);
ja sinun on annettava hänelle nimi JEESUS (finlandês);
rembohérata pe mitã JESÚS (guarani);
og hann skaltu láta heita JESÚ (islandês);
és nevezed annak nevét JÉZUSnak (húngaro);
Ut JESÚS tâq'ue chok' xc'aba' xban (ketchi);
diens naam zult gij JEZUS noemen (holandês);
des Namen sollst du JESUS heißen (alemão);
og du skal kalle ham JESUS (norueguês);
i nadasz um imię JEZUS (polonês)
и наречешъ Ему имя: Иисус (russo)
na fade mo di iri ti Lo JÉSUS (sango);
et vocabis nomen eius Iesum (latim)
tura nuna naari JESUS anaikiattame (shuar-Equador);
en gij zult Zijn naam heten JEZUS; (Nederland)
nawe utampa jina YESU (swahili);
och honom skall du giva namnet JESUS (sueco);
Adýný ÝSA koyacaksýn (turco);
ngöôi khaù ñaët teân laø JEÂSUS (vietnamita);
Etc., etc., etc....

(Mateus 1:21)

"E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim." (Mateus 24:14)

Ele preanunciou que o Seu Evangelho (Boa Nova, Boa Notícia) seria proclamado em todo o mundo. E isto tem se cumprido. O Seu Nome tem sido anunciado em toda a terra, em todas as línguas, conforme a sua pronúncia.


EM NOME DE JESUS...

Agora, vejamos fatos incontestáveis a cerca deste Grande Nome:

a) Devemos ser testemunhas de Jesus: At. 1:8 e Apoc. 17:6.

b) Tudo deve ser feito somente em nome de Jesus: Col. 3:17.

c) Quem abandonar tudo pelo Nome de Jesus receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna – Mat. 19:29;

d) Os verdadeiros cristãos serão odiados por causa do Nome de JESUS – Mar. 13:13;

e) Todo joelho se dobrará ao nome de Jesus - Fil. 2:9, 10 (Is. 25:23);

f) No nome de Jesus:
........ 01. Expele-se demônios – Mar. 9:49; 10:17; At. 16:18
........ 02. Fala-se em novas línguas – Mar. 16:17, 18
........ 03. Cura-se enfermos – At. 3:6ss
........ 04. Esperarão os gentios (as nações) – Mat.12:21; At. 9:15;
........ 05. Deve-se pregar o arrependimento – Luc. 24:47;
........ 06. Quem crer “receberá a autoridade de ser gerado filho de Deus” – Jo. 1:12; 2:23;
........ 07. Deve ser feita a oração – Jo.14:13,14; 15:16; 16:23-26;
........ 08. Quem crer tem vida – Jo. 20:31; 1Jo. 5:13;
........ 09. Há a única salvação – At. 4:12;
........ 10. Prega-se ousadamente – At. 9:27, 28;
........ 11. Quem crê, recebe remissão (o perdão) dos pecados – Jo. 3:18; At. 10:43; 1Jo. 2:12;
........ 12. Vêm o amor, a graça e o ministério – Rom. 1:5;
........ 13. Somos lavados, santificados e justificados – 1Co.6:11;
........ 14. Somos embaixadores – 2Co. 5:20;

g) O nome de Jesus...
....... 01. Deve ser engrandecido – At. 19:17;
....... 02. Deve ser glorificado no cristão - 2Tes. 1:12;
....... 03. Deve ser conservado – Apoc. 2:13;
....... 04. É o bom nome invocado sobre o crente e é injuriado pelos descrentes – Tia. 2:7; 1Ped. 4:14;
....... 05. Não deve ser negado – Ap. 2:3; 3:8
....... 06. Fortalece – At. 3:16
....... 07. Incomoda os inimigos – At. 4:17, 18; 5:28, 40, 41; 9:14, 21;
....... 08. Dispõe o verdadeiro cristão morrer por ele se possível for – At.21:13;
....... 09. Deve ser invocado pelo batizando – At. 22:16;
....... 10. Quando confessado e invocado, concede salvação – Rom. 10:9-13; 1Co. 1:2;

Poderíamos nos prolongar muito mais falando sobre os atributos do glorioso Nome de JESUS, mas achamos que o que foi dito acima é o suficiente para que tenhamos uma idéia de que o Nome de JESUS é o Nome que está acima de todo nome. (Fil. 2:9)


Concluindo

Embora o Nome יהוה ( YHWH ), no hebraico da Velha Aliança, seja o maior Nome já revelado aos antigos, com cerca de 6.828 vezes o número total de suas ocorrências, no texto Massorético, na Nova Aliança, o maior nome já revelado em todos os tempos é o Nome de JESUS (*1), (Fil.2 9-11) com o Tetragrama hebraico =  ישוע (YESHUA). Como disse o autor da Epístola aos Hebreus, “quando ele diz Nova, torna antiquada a primeira. Ora, aquilo que se torna antiquado e envelhecido, está prestes a desaparecer.” (8:13) (*2)


*      *      *


_____________________________________________________

(*1) Nota 1: O próprio Nome ישוע (YESHUA / JESUS = Salvador, Salvação) não será o nome eterno do Messias, pois na eternidade Este também terá um novo Nome (Ap. 3:12). No Céu Ele é chamado de Cordeiro pelos seres celestes pelo fato de não ser o Salvador destes, e sim, dos homens. (Ap. 5:12, 13; 7:10, 14, 17; 12:11, etc.)

(*2) Nota 2: Um dos nomes antigos de Deus que será lembrado na eternidade é יה (YAH = Jah, SER - Êx. 15:2) uma forma do verbo ser, mas que não é a abreviatura de YAVÉ, como muitos pensam, mas um dos nomes pessoais de Deus, formado também pelo verbo "ser": "...JAH é o seu nome, exultai diante dele" (Sal. 68:4,c) – tradução livre. JAH aparece composto com "Javé" (יה יהוה  = JAH JAVÉ) em Isaías 12:2; 26:4. Se Jah é usado composto com Javé, não é uma abreviatura deste, mas distinto. É freqüentemente citado na doxologia, principalmente nos Salmos, e no NT (somente em Apocalipse), ligado ao verbo HALAL (louvar) no imperativo, formando, desta forma uma palavra composta, conhecida mundialmente: ALELUIA ( הללו־יה = HALeLU-YAH = "Louvai a Jah", "Louvai ao Senhor"). Conf.: Sal. 112:18; 115:17,18 // Salmos de 146 a 150, no início e no final de cada um. // No N.T. somente em Apocalipse 19:1, 3, 4 e 6.




Por: Luís Antônio Lima dos Remédios - IPM
luis-agape@hotmail.com
cacerege@gmail.com
Manaus - Amazonas - Brasil


______________________________________________________



Estudos já postados:

01- O Novo Testamento NÃO Foi Escrito em Hebraico e/ou Aramaico

02- O espiritismo segundo [alguns] “evangélicos”

03- Adultério do Coração

04- Santa Ceia: vinho ou suco de uva?

05- O Dia do Senhor: Sábado ou Domingo?

06- O Que a Bíblia Diz Sobre a Idolatria

07- Deuterocanônicos ou Apócrifos?

08- A divisão das horas do dia nos tempos bíblicos

09- O Inferno

10- Deus e deuses

11- 30 Razões Porque Não Guardo o Sábado

12- O Nome JESUS

13- O Verbo era um deus?

14- A Divindade de Cristo negada entre colchetes

15- Cruz ou estaca de tortura?
http://cacerege.blogspot.com.br/2012/11/cruz-ou-estaca-de-tortura.html

16- YHWH – Um Nome que será esquecido para sempre
  
17- Alma, corpo e espírito

18- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 01- CAMELO ou CORDA?
http://cacerege.blogspot.com/2015/03/camelo-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

19- A Peshitta confirma o Novo Testamento grego – 02- LEPROSO ou FAZEDOR DE JARROS?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/03/leproso-peshitta-confirma-o-nt-grego.html

20- Paraíso Hoje ou Um dia?
http://cacerege.blogspot.com.br/2015/08/paraiso-hoje-ou-um-dia-lucas-2343.html

21- Adultério Virtual
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/02/adulterio-virtual_23.html

22- KeNUMÁ e os modalistas nazarenos

23- A Virgem Que Concebeu
http://cacerege.blogspot.com.br/2017/04/a-virgem-que-concebeu.html


Obs.: É permitido a copia para republicações, desde que cite o autor e as respectivas fontes principais e intermediárias.


Por: Luís Antônio Lima dos Remédios

Luís - ܠܘܝܣ - לואיס - Λουις



Gostou? Comente.