Total de visualizações de página

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Inferno

  
    
A nossa palavra "INFERNO" é uma transliteração da latina "INFERNUS" (às vezes: "INFERUS") que significa: [lugar] inferior, abismo. Esta é geralmente a tradução da palavra hebraica שְׁאוֹל = SHeOL (também transliterada: Seol), e da grega ᾅδης (Hádēs), pela Vulgata Latina (Num. 16:30; 2Sam. 22:6; Is.14:9,15; Ez.32:21; Os.13:14;  Am.9:2; etc.). Compare o Salmo 16:10 com Atos 2:27, onde a palavra hebraica SHEOL corresponde à grega HADES.

A palavra hebraica para Inferno, como vimos acima, é שאול (SHEOL), com afinidades na siríaca ܫܝܘܠ (SHIUL Deut.32:22:  2Sam.22:6; Jó 11:8; 26:6; Sal.16:10, etc.), e ocorre 65 vezes no V.T. hebraico Massorético (ou 66, se considerarmos Is.7:11, que, pela sua forma, pode também ser um verbo).
Em algumas versões a palavra hebraica SHEOL (Seol) foi traduzida por "sepultura", em algumas poucas passagens do V.T., quando este lugar está relacionado com os justos, pelo fato de os tradutores não compreenderem esta palavra na cultura semita antiga, e o seu uso no Velho Testamento, o qual tem o seguinte ensinamento sobre o Seol:

1.   É um lugar nas profundezas da terra (centro?)[*1]  conforme podemos ver nas seguintes passagens:

a)   Num. 16:30-33: “Mas, se o SENHOR criar alguma coisa inaudita, e a terra abrir a sua boca e os tragar com tudo o que é seu, e vivos descerem ao abismo (heb: SHEOL), então, conhecereis que estes homens desprezaram o SENHOR. “E aconteceu que, acabando ele de falar todas estas palavras, a terra debaixo deles se fendeu, “abriu a sua boca e os tragou com as suas casas, como também todos os homens que pertenciam a Corá e todos os seus bens. “Eles e todos os que lhes pertenciam desceram vivos ao abismo (heb: SHEOL); a terra os cobriu, e pereceram do meio da congregação.”

b)   Deut. 32:22 - “Porque um fogo se acendeu no meu furor e arderá até ao mais profundo do inferno (heb: SHEOL), consumirá a terra e suas messes e abrasará os fundamentos dos montes.” (grifo acrescentado)

c)   Is. 7:11 - “Pede ao SENHOR, teu Deus, um sinal, quer seja embaixo, nas profundezas, ou em cima, nas alturas.”

d)  Is.14:9: “O além (heb: SHEOL), desde o profundo, se turba por ti, para te sair ao encontro na tua chegada; ele, por tua causa, desperta as sombras e todos os príncipes da terra e faz levantar dos seus tronos a todos os reis das nações.”

e)   Is. 14:15 –  Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos (heb: SHEOL), no mais profundo do abismo.”

f)    Prov. 15:24 – “Para o sábio há o caminho da vida que o leva para cima, a fim de evitar o inferno, embaixo.”

g)   Ez. 31:15-18 – “Assim diz o SENHOR Deus: No dia em que ele (Faraó) passou para o além (heb: SHEOL), fiz eu que houvesse luto; por sua causa, cobri a profundeza da terra, retive as suas correntes, e as suas muitas águas se detiveram; cobri o Líbano de preto, por causa dele, e todas as árvores do campo desfaleceram por causa dele. “Ao som da sua queda, fiz tremer as nações, quando o fiz passar para o além (heb: SHEOL) com os que descem à cova; todas as árvores do Éden, a fina flor e o melhor do Líbano, todas as que foram regadas pelas águas se consolavam nas profundezas da terra. “Também estas, com ele, passarão para o além (heb: SHEOL), a juntar-se aos que foram traspassados à espada; sim, aos que foram seu braço e que estavam assentados à sombra no meio das nações. ”A quem, pois, és semelhante em glória e em grandeza entre as árvores do Éden? Todavia, descerás com as árvores do Éden às profundezas da terra; no meio dos incircuncisos, jazerás com os que foram traspassados à espada; este é Faraó e toda a sua pompa, diz o SENHOR Deus.”

h)  Ez. 32:21 – “Os mais poderosos dos valentes, juntamente com os que o socorrem, lhe gritarão do além (heb: SHEOL): Desceram e lá jazem eles, os incircuncisos, traspassados à espada.”

i)     O Novo Testamento também o situa, ao falar da morte de Cristo:
i.1- “Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra.” (Mat. 12:40); 
i.2- “ou: Quem descerá ao abismo?, isto é, para levantar Cristo dentre os mortos.” (Rom 10:7);
i.3- “Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido às regiões inferiores da terra?” (Ef. 4:9).

j)    Onde os seres que lá estão, um dia dobrarão os seus joelhos e confessarão o nome de Jesus. (Fil. 2:10) Ver também Ap. 5:3,13.

2. Contém portas (Jó 17:16; 38:17; Is. 38:10; conf.: Mat. 16:18). Note que toda porta contém chave: Ap. 1:18;

3. Tanto o pio (justo) quanto o ímpio (injusto) iam para lá após a morte.[*2], (Gên.37:35; Sal 49:15; Is.38:10 / Núm.16:30-33, no original: Sheol; latim: inferus / infernus) sendo que o primeiro ia para uma região superior de descanso ou Paraíso (heb.: GAN ‘EDEN = Jardim do Éden.[*3], como é chamado pelos judeus - Luc. 23:43; Efe. 4:9) e o último, para as suas profundezas (infernus = inferior), preso em cadeias eternas (Sal. 9:17; 31:17).

Note: somente a alma vai para o Seol/Hades: Sal. 16:10; 30:3; 49:15; Pr. 23:14; At.2:27, 31, etc.
Para muitos, é surpreendente saber que não só o ímpio, mas também o justo ia para o Seol (Hades), no tempo do Antigo Testamento.
É o seguinte: Após o pecado original, Deus expulsou Adão e Eva do Paraíso, e pôs querubins ao seu oriente e uma espada flamejante que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida. (Gên.3:24) Assim sendo, ninguém mais tinha acesso à entrada do dito jardim, que ficava em algum lugar da Mesopotâmia (palavra grega que significa: "entre rios"), onde havia um rio que se dividia em quatro braços chamados de Pisom, Giom, Tigre e Eufrates.[*4] (Gên 2:10-14)
Era a crença comum dos patriarcas que eles, ao morrerem, iriam reunir-se com o seu povo (Gên. 25:8; 35:29, etc.) no Seol (lat.: Inferus: Gên. 37:35; Jó 14:13; Sl. 49:15; Is. 38:10, etc.).[*5] Logo, não era somente uma crença, mas um ensino do Antigo Testamento. Era crença geral do judaísmo que o justo, ao morrer ia para a parte superior do Seol (Hades) sendo recepcionado por Abraão, o pai da fé. O Senhor Jesus ratificou esta realidade do tempo do Antigo Pacto, (Luc. 16:22-24ss) sendo que na Nova Aliança os salvos são recebidos por Ele próprio (Luc. 23:43; Atos 7:59; 2Co. 5:8) no Paraíso que agora se encontra no Céu, (2Co. 12:2,4) ficando agora o Hades reservado somente para os perdidos, conforme Mat. 11:23; Luc. 16:23; Jud. 13, etc.
Assim sendo, antes da ressurreição de Cristo, nenhum justo, ao morrer, havia subido ao céu conforme João 3:13, mas permanecia na parte superior do Hades, ou seja, o Paraíso, aguardando a sua redenção. É por isso que não há divergência no fato de Jesus ter prometido ao ex-malfeitor a ida naquele dia ao Paraíso e outros textos afirmarem a Sua ida ao Hades-Seol (Sal. 16:10; 30:3; 49:15; 86:13; Prov. 23:14; Atos 2:27), no "coração" (Mat. 12:40) ou regiões inferiores da terra" (Ef. 4:9).
Mas, quando o Senhor Jesus ressuscitou e ascendeu aos céus, levou cativo o cativeiro, (Efe. 4:8), isto é, levou para junto de si o Paraíso com os santos do tempo do Antigo Testamento que estavam "prisioneiros" no Hades[*6], e em sua Parusia (vinda) trará de volta em sua companhia os que dormem, isto é os que morreram na fé. (1Tes. 4:14)

A palavra grega HADES (heb.: SHEOL) é também, algumas vezes, em algumas versões, traduzida erroneamente por "MORTE", em algumas poucas passagens bíblicas. Ora, a palavra grega exata para "MORTE" é: Θανατος  (THANATOS), e não HADES. Veja ambas ocorrerem juntas em Apoc. 20:13, 14).
Os “tradutores” da versão Novo Mundo dos testemuinhas-de-jeova, deixam de traduzir a palavra hebraica SHeOL, e as gregas HADES, GEENA e TÁRTARO, para que os adeptos da seita sejam enganados e possam ter “base bíblica” para afirmarem que o INFERNO não existe, mas que HADES e SHEOL (que eles concordam que correspondem à latina INFERNUS - apêndice 4B da Tradução do Novo Mundo com Referências) falam da mesma coisa, ou seja, da "SEPULTURA".Eles ensinam que o Hades/Sheol nada mais é que a "sepultura comum da humanidade. 
O Inferno não é a "sepultura" (como enganam os testemunhas-de-jeová e os adventistas), pois as palavras hebraicas para "TÚMULO", "SEPULCRO", "SEPULTURA, são:  קֶבֶר [KEVER] (Gen 23:4, 6, 9, 20; 49:30; 50:13; 2Sm. 3:32; 19:37; Jó 3:22; 5:26; Sal. 5:9;  Is. 22:16; 53:9; Ez 32:25, etc.), com sua forma derivada feminina קְבוּרָה (KeVURAH) – Gn. 35:20; 47:30; Deut. 34:6; 1Sam. 10:2; 2Rs. 9:28; 21:26; 23:30; 2Cr. 26:23; Ec. 6:3; Is. 14:20; Jr. 22:19 e Ez 32:23, 24) e גָּדִישׁ [GADISH ] (Jó 21:32 - túmulo, montão) e, para o idioma grego, há, pelo menos, três delas no Novo Testamento:

1- Ταφος [TAFOS] - Mat. 23:27,29; 27:61,64,66; 28:1; Rom. 3:13, só
2- Μνεμα [MNEMA] - Mar. 5:3; Luc. 8:27; 23:53; 24:1, etc.;
3- Μνεμειον [MNEMEION] - Mat. 23:29; 27:52ss; Mar. 5:2ss; 6:29, etc.

“Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o lado   de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado. No Hades, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro ao seu lado. Então, clamando, disse: 'Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.'” (Lucas 16:22-24)


Assim como há três palavras gregas que designam a "sepultura", há também três que designam o INFERNO:

1º. Άδης [HADES] - abismo; lugar subterrâneo reservado para as almas humanas. Esta palavra, como vimos anteriormente, é correlata da palavra hebraica שְׁאוֹל (SHEOL) e da síriaca-aramaica   ܫܝܘܿܠ (שׁיוּל - SHIUL), conforme se encontra na Peshitta, uma das primeiras traduções do NT para o aramaico-siríaco e nos manuscritos Siríaco Curetoniano e Siríaco Sináitico.
Na cultura grega clássica, Hades ("Plutão" dos romanos) era o nome do deus do inferno, cuja entrada era guardada pelo cão de quatro cabeças chamado Cérbero. As almas dos mortais indignos eram ali confinadas para sempre, presas em cadeias eternas. No grego posterior, esta região abissal (latim: INFERNUS) passou a ser chamada pelo próprio nome de HADES, nome este usado geralmente pelos tradutores judeus da Septuaginta (LXX), como correspondente do hebraico SHeOL, (Deut. 32:22; Jó 14:13; 17:16; Sal. 6:5; 9:17; Prov. 1:12; 9:18; 15:24; Isa. 14:9, etc.) e adotado pelos escritores do Novo Testamento em 10 passagens:

01ª) Mat. 11:23 - “...Descerás até ao inferno...”;
02ª) Luc. 10:15 - “...Descerás até ao inferno”;
03ª) Mat. 16:18 - “as portas do inferno não prevalecerão...”;
04ª) Luc. 16:23 - “No inferno, estando em tormentos...”;
05ª) e 6ª) At. 2:27 e 31 - “porque não deixarás minha alma na morte (Hades)...”,
07ª) Apoc. 1:18 - “e tenho as chaves da morte e do inferno...”;
08ª) Apoc. 6:8 - “...e o inferno o estava seguindo”;
09ª) Apoc. 20:13 - “A morte e o além (Hades) entregaram os mortos...”
10ª) Apoc. 20:14 - “Então a morte e o inferno foram lançados para dentre do lago de fogo...”

 E assim, temos a oportunidade de observar que em nenhuma destas passagens acima o Hades tem o significado de “sepultura comum da humanidade”. A palavra Hades, no grego, é um nome próprio, e só aparece no singular. Se o Hades fosse a sepultura, haveria milhões de hades!
 A Palavra de Deus afirma que quando Cristo morreu, foi ao coração da terra, ou seja, foi ao Hades e pregou aos espíritos em prisão, (Mat.12:40; At. 2:27,31; Efe. 4:9; 1Ped. 3:18,19; 4:6) indicando que este é um local único, onde há consciência.
No Livro do Apocalipse, cap. 5, verso 2, está registrado o desafio de um anjo forte em busca de alguém "digno" de abrir o Livro e desatar-lhe os selos; no verso 3 está registrado que nenhuma criatura no céu, na terra e em baixo da terra tinha condições de abrir o Livro nem de olhar para ele. Aqui está em foco a tríplice divisão da criação, defendida pelos antigos: os seres celestes em geral, os seres terrestres e, finalmente, os infernais (os que habitam em baixo da terra - compare com Êxodo 20:4). Note a consciência e a incapacidade de tais seres, seja no céu, na terra e embaixo da terra (no inferno), de abrir o Livro e mesmo de olhar para ele (o único capaz foi o Leão da tribo de Judá, ou seja, o Senhor Jesus Cristo). Mas no verso 13, está escrito que estes mesmos seres renderão ações de graças ao Deus Pai e ao Deus Filho:
"Então ouvi que toda criatura que há no céu, e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo que neles há, estava dizendo:
"Àquele que está sentado no trono, e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória e o domínio pelos séculos dos séculos.”
Amém. 
E assim vemos que chegará um dia que os próprios seres que habitam as profundezas da terra (nem de longe pensar que seja animais subterrâneos, pois estes são irracionais), ou seja, o Inferno, louvarão a Deus (até então impossibilitados: Salmos 88:10[8] e 115:17) .
Em vista de tudo isso, a conclusão é óbvia: Se na cultura pagã greco-romana antiga, o Hades era uma região infernal, onde as almas permaneciam conscientes, e o N.T. assim o confirma é porque isto é um fato. E este pensamento é ratificado pelo próprio Senhor Jesus Cristo no N.T. (Luc. 16:23, 25, 28; Conf.: 1Ped. 3:18,19)

-      x      -

2º. Γεεννα [GEENNA] - prisão de tormento eterno, o lago de fogo.

A palavra grega GEENA aparece 12 vezes no N.T. grego, sendo que 11 vezes nos Evangelhos e uma vez em uma epístola: Mat. 5:22,29,30; 10:28; 18:9; 23:15, 33, Mar. 9:43,45,47; Luc. 12:5 e Tg. 3:6. A palavra GEENA é uma transliteração grega do hebraico     גֵּיהִנֹּם (GEH HINNON = Vale de Hinom) que tem sua equivalência na Peshitta Aramaica:  ܓ݂ܹܗܲܢܵܐ (גִהַנָא = G,IHHANĀ’). O Vale de Hinom é uma ravina ao sul, fora das muralhas de Jerusalém, onde, em tempos antigos, israelitas idólatras sacrificavam seus filhos no fogo, em honra Moloque, uma entidade demoníaca cananéia. Esta prática foi abolida pelo bom rei Josias, que profanou o altar de Moloque, poluindo-o, evitando assim futuros sacrifícios. (2 Reis 23:10) Mais tarde esta localidade foi transformada em depósito de lixo da cidade, onde posteriormente passaram a ser depositados cadáveres de criminosos e carcaça de animais, pois havia fogo constante sendo alimentado por meio de enxofre, a fim de se evitar pestilências. Mas, a despeito do calor intenso, havia vermes em abundância em tais corpos, somente morrendo após os consumirem por completo.

O Senhor, ao referir-se à condenação eterna, usou a palavra Geena por ser esta conhecida de seus ouvintes, mas não se referia propriamente ao Vale de Hinom, mas ao Inferno de fogo, com a diferença que “o seu verme não morre e o fogo não apaga”[*8], (Mar. 9:43-47).
Em nenhum dos 12 textos mencionados acima, onde ocorre esta palavra no grego, há qualquer ideia à lixeira de Jerusalém.[*9] Confira alguns:
1. “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.” (Mat.10:28) 
A palavra grega usada para “perecer” é: απολλυμι (APOLLYMI ), mas esta não se refere a uma destruição total da alma, como enganam as seitas aniquilacionistas, como os testemunhas-de-jeova e os adventistas, mas sim, a um perigo iminente de morte física, e morte espiritual (separação de Deus), seguida de sofrimento eterno.
Em Mat. 10:39, parte b, o Senhor Jesus disse que “quem, todavia, perde a sua vida por minha causa, achá-la-á.”  Neste texto, a palavra grega  para “perder” é APOLLIMI  e para “vida” é PSIQUÊ -“alma” na NM - e é lógico que o Senhor não estava ensinando que alguém devesse aniquilar a sua alma para salvá-la, mas estava falando da vida física. Eis outros textos onde este verbo é usado: Mat.8:25; 26:52 (perecer); 9:17 (romper, estragar); Luc.15:24 (estar perdido, mas não morto); Jo.11:50 (morrer, mas não ser aniquilado para sempre), etc. O Senhor Jesus mesmo faz diferença, no texto em pauta de Mateus 10:28, entre o verbo “perecer” (gr.: APOLLYMI ) e o verbo “matar”, “assassinar” (αποκτεινω = APOKTEINŌ - Mat.14:5; Luc.11:47; Jo.8:22; 16:2, etc.), pois o corpo pode ser morto, aniquilado, mas a alma pode perecer, sofrer no Inferno. Confira: Luc. 12:5; Apoc. 14:10,11;  20:13-15;  21:8.

2. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós.” (Mat. 23:15);

3. “Serpentes, raças de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?” (Mat. 23:33);

4. “Eu, porém vos mostrarei a quem deveis temer: Temei aquele que depois de matar, tem poder para lançar no inferno. Sim, digo-vos, a esse deveis temer.” (Luc.12:5)

Ora, se só Deus tem o poder de lançar alguém no Geena, então Jesus não estava referindo-se ao Vale de Hinom judaico, lixeira de Jerusalém da época, mas ao Inferno. E isto está de acordo com o ensinamento comum da época, onde podemos ler em alguns apocalipses judaicos, que a Geena tornou-se símbolo de punição eterna. (I Esdras 27:2; II Esdras 7:36)

Assim sendo, o Vale de Hinom foi usado pelo Senhor como símbolo do tormento eterno no Geena, com a diferença que "o seu verme não morre e o fogo não apaga", (Mar. 9:43-47 / Is. 66:24) sendo o mesmo lago de fogo apresentado em Apoc. 20:10,14,15 e 21:8, onde a besta e o falso profeta serão nele atirados vivos, (19:20) e onde o próprio Hades junto com a Morte, serão também nele atirados. Este é o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos, e para onde também vão os homens ímpios (Mat. 25:41; Isa. 14:9,15; 33:14).  Ali haverá trevas, choro e ranger de dentes (Mat. 8:12; 13:41,42,49,50;  Luc. 13:27,28,  etc.).

-      x      -

3º. Ταρταρος [TARTAROS]  (prisão dos anjos caídos; o lugar mais profundo do Inferno):  2Ped. 2:4;  Jud.6.


Esta palavra significa, em sua raiz, "lugar gélido", e dá muitas vezes a idéia de "abismo". No N.T. ela é encontrada somente uma vez em sua forma verbal, ou seja, TARTAROÔ, que significa: "lançar no Tártaro". Na versões dos LXX, em Jó 41:31,32, lemos sobre o Leviatã (traduzido geralmente como "crocodilo") o qual se diz que ele "faz ferver o caldeirão de bronze, e considera o mar como caldeira de ungüento e o tártaro do abismo como cativo: considera o abismo como seu território." (cap. 41:23,24 na LXX). O "DICIONÁRIO DA BÍBLIA" (por John D. Davis - JUERP - pág. 287, 10ª  edição) nos dá a informação: "O tartarus dos romanos, o Tartaros dos gregos, era o lugar por eles imaginado, para onde iam as almas, situado abaixo do Hades, quando o Hades estava abaixo do céu". E é assim mesmo que ele é apresentado na Ilíada de Homero, ficando abaixo do Hades (que por sua vez era ocupado pelas almas humanas) sendo o lugar de trevas profundas e prisão exclusiva dos deuses inferiores que haviam se rebelado contra Zeus (o Júpiter dos romanos), a saber: Cronos e os Titãs (palavra usada na  LXX para designar alguns gigantes no V.T.). Há um paralelo incrível com o pensamento neotestamentário, onde o Tártaro é identificado como o lugar de prisão, com trevas profundas, reservado somente para os anjos rebeldes (2Ped.2:4; Jud.6), como o Hades o é para os homens pecadores (Luc.16:23...).


Ensina a Bíblia que o diabo está reinando no Inferno?

Em nenhum verso das Escrituras há uma afirmação assim explícita, mas alguns a subentendem na frase de Jesus que, ao falar a Pedro, disse-lhe que as portas do Inferno [Hades] não prevaleceriam contra a Sua Igreja (Mat. 18:16) e o Salmo 18, verso 5 afirma que cadeias infernais podem oprimir alguns homens, o que pode ser um sentido figurado, mas que dá a entender que seres infernais têm alguma influência sobre a terra. Mas a Bíblia ensina que o fogo eterno (o Geena) foi preparado para o diabo e seus anjos,  (Mat. 25:41), sendo a sua morada permanente pelos séculos dos séculos (Apoc. 20:10), enquanto que o Tártaro é a prisão temporária de alguns demônios até o dia do juízo. (2Ped. 2:4). O Hades (a prisão das almas sem Cristo) é também o atual domínio ou quartel general de forças satânicas que lutam contra a Igreja, mas que jamais prevalece contra ela. (Mat. 16:18).

Eis a Bíblia ensina sobre a atual condição de Satanás:


1) Que o diabo está na terra, e anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar  (1Ped. 5:8; Jó 1:6-7);

2) Que satanás foi expulso do céu juntamente com seus anjos, caindo como um relâmpago, (Luc. 10:18; Isa. 14: 12) sendo atirado à terra cheio de ira, sabendo que pouco tempo lhe resta (Apoc. 12:9, 12);

3) Que, por causa disto, o mundo inteiro jaz no maligno, (1Jo. 5:19) pois este lhe foi entregue, (Luc. 4:6) sendo ele o seu governante por um pouco de tempo (Jo. 12:31; 14:30; 16:11);

4) Que o diabo está atuando no ar, pois ele é o príncipe da potestade do ar ou “regiões celestiais” (Efe. 2:2; 6:12);

5) Que seus demônios andam a oprimir a vida daqueles que lhe dão uma “casa” para morar (Mat. 12:43-45);

6) Que brevemente o diabo será preso e sofrerá tormento eterno no inferno de fogo inextinguível, (Apoc. 20:1-3, 10) pois para este fim foi ele preparado. (Mat. 25:41);

7) Mas que, a despeito de tudo isso, o Senhor Jesus tem a suprema autoridade tanto no céu, como na terra, (Mat. 28:18) e logo, logo, vai assumir o governo do reino deste mundo, (Apoc. 11:15) pois é o Rei dos reis e Senhor dos senhores. (17:14; 19:16).

E assim vemos que o Inferno de fogo, o tormento eterno (Apoc. 14:10:11; 20:10) não é uma invenção do romanismo adotado pela cristandade em geral, como enganam algumas seitas heréticas, mas uma realidade bíblica, fartamente documentada.

Εστε é um breve resumo do assunto que desenvolvi em meu livro: “Seja a Palavra de Deus Verdadeira e Mentirosa a Tradução do Novo Mundo dos testemunhas-de-jeová”, a publicar.


INFERNO NO JUDAISMO

O conceito de tormento na Geena espiritual faz parte, sim do judaísmo (embora o judaismo atual rejeitre a idéia) como podemos ler na Wikipédia em hebraico o artigo “Geena”:
( http://he.wikipedia.org/wiki/%D7%92%D7%99%D7%94%D7%A0%D7%95%D7%9D#.D7.94.D7.92.D7.99.D7.94.D7.A0.D7.95.D7.9D_.D7.91.D7.99.D7.94.D7.93.D7.95.D7.AA ):

הגיהנום ביהדות (A Geenna [inferno] no Judaísmo), na segunda parte (pois a primeira parte dá a localização geográfica e histórica do Vale de Hinom:

<< A literatura talmúdica e o Midrashic mencionam o Geh-Hinon como um lugar onde os ímpios são condenados após a vida neste mundo.

Por exemplo:

"E eventualmente herdar o Geh-Hinon" (Pirkei Avot LXXX:1-5).

Coisas ruins que agravam a pena de um homem no Geh-Hinon: RaB. B.ah bar Shiloh disse a Rav Chesda: "Todos OS imundos irão se sujar no Geh-Hinon" (Shabat xxxvii:1), enquanto as boas ações aliviam lá as suas pena", disse o Rabi Chame com Rabi Hanina; Todo leitor que ler o Shema e medita no que está escrito esfria o inferno para ele" (Tratado Berachot, ix.6, lxx.2).

O Tratado Eruvin diz: "E disse Rabi Yeremiah Bar Eleazar: “O Geh-Hinon tem três aberturas, uma deserto e uma no mar e outra em Jerusalém" ('Er 19a. 70.1) >>

Em outras literaturas judaicas:

Os rabinos estão livres do Geena:
Hagigah 27a declara que nenhum rabi pode ir mesmo para o Geh Hinon.

Penalidade por Desobedecer os Rabis:

Erubin 21b. Todo aquele que desobedece os rabis merecem a morte e serão punidos sendo fervidos em excrementos quentes no Geh Hinon.

O Talmud ataca Jesus e os Cristãos:

Gittin 57a. diz que Jesus está no Geh Hinon, sendo fervido em "excrementos quentes".

Rosh Hashanah 17a: Cristãos (minnim) e outros que rejeitam o Talmud irão para o Geh Hinon e serão punidos lá por todas as gerações.

Mas o artigo mais completo que encontrei está na Enciclopédia Judaica:


Geena (Hebr.: גיהנום, Grego: Γέεννα):

Natureza e Situação.

O local onde as crianças foram sacrificados para o deus Moloch era originalmente no "vale do filho de Hinom", ao sul de Jerusalém (Js 15:8, passim;. II Reis 23:10; Jr 2:23; 7:31-32;. 19:6, 13-14). Por esta razão, o vale foi considerado maldito, e "Gehenna", portanto, tornou-se logo um equivalente figurativo para "inferno". Tanto o Inferno, como o Paraíso, foram criados por Deus (Soṭah 22a), de acordo com Gen. R. 9:9, as palavras "muito bom" em Gen. 1:31 referem-se ao inferno, daí o último deve ter sido criado no sexto dia. No entanto, as opiniões sobre este ponto variam. Segundo algumas fontes, foi criado no segundo dia, mas de acordo com outras, antes mesmo do mundo, apenas o fogo estava sendo criado no segundo dia (Gen. R. 4, final;.Pes 54a). A "fornalha ardente" que Abraão viu (Gn 15:17, hebr.) foi a Geena (Mek. 20:18b, 71b,.. Visões de Enoque, xcviii.3 (98:3), ciii. 8 (103:8); Mat. 13:42, 50; Er. 19a, onde a "fornalha ardente" também é identificada com o portão da Geena). As opiniões também variam quanto à situação, a extensão e a natureza do inferno. A afirmação de que a Geena situa-se no vale de Hinom, perto de Jerusalém, no "vale amaldiçoado" (Enoque, xxvii. 1 e segs.), significa simplesmente que ele tem um portão lá. Foi em Sião, e tinha um portão em Jerusalém (Is. 31:9). Ele tinha três portas, uma no deserto, uma no mar, e uma em Jerusalém ('Er 19a.). O portão fica entre duas palmeiras no vale de Hinom, a partir do qual a fumaça cresce continuamente (ib.). A boca é estreita, impedindo a fumaça, mas abaixo a Geena estende-se indefinidamente (Men. 99b). De acordo com uma opinião, ele está acima do firmamento, e de acordo com o outro, por detrás das montanhas escuras (Ta'an. 32b).

Um árabe apontou para um estudioso o local no deserto onde a terra engoliu os filhos de Coré (Nm 16:31-32), que desceu ao Gehenna (Sanh. 110b). Situa-se no fundo da terra, e é imensamente grande. "A terra é um sexto do jardim, o jardim um sexto do Éden [o paraíso], Éden um sexto da Geena;., Portanto, o mundo inteiro é como uma tampa para a Geena Alguns dizem que a Geena não pode ser medido" ( Pes. 94a). Ele está dividido em sete compartimentos (Soṭah 10b); uma visão semelhante foi realizada pelos babilônios (Jeremias, "Hölle und Paradies bei den Babyloniern", pp 16 e segs, Leipsic, 1901;. Guthe ", Kurzes Bibel-wörterb. "p. 272, Tübingen e Leipsic, 1903).

Devido à extensão da Geena, o sol, ao começar a noite, passa por ela, e recebe dela seu próprio fogo (brilho da noite; B. B. 84a). Um rio de fogo ("dinur") cai sobre a cabeça do pecador na Geena (Hag. 13b). Este é "o fogo do Ocidente, que a cada por-do-sol recebe. Cheguei a um rio de fogo, cujo fogo flui como água, e que deságua em um mar grande no Ocidente" (Enoque, 17:4-6). O Inferno aqui é descrito exatamente como no Talmud. Os persas acreditavam que o metal fundido brilhante corria sob os pés dos pecadores (Schwally, "Das Leben nach dem Tode", p. 145, Giessen, 1892). As águas das nascentes quentes de Tiberíades são aquecidos enquanto flui passando pela Geena (Shab. 39a). O fogo da Geena nunca acaba (Tosef., Ber 6, 7,. Marcos 9:43 e segs; Mat. 18:8, 25:41; Compare com Schwally, l.c. p. 176), há sempre uma abundância de madeira lá (Men. 100). Este fogo é 60 vezes mais quente que qualquer fogo terrestre (Ber. 57b). Há um cheiro de enxofre na Geena (Enoque, 67:6). Isto concorda com a idéia grega do inferno (Lucian, Αληθεῖς Ιστορίαι, 1:29, em Dietrich, "Abraxas", p. 36). O cheiro sulfuroso das fontes medicinais tiberianas foram atribuídas à sua ligação com a Geena. Em Isa. 66:16, 24 diz-se que Deus julga por meio de fogo. A Geena é escura, e apesar das imensas massas de fogo, é como a noite (Yeb. 109b,.. Compare com Jó 10:22). A mesma idéia também ocorre em Enoch, 10:4, 82:2; Mat. 8:12, 22:13, 25:30 (comp. Schwally, lc p. 176).

Supõe-se que há um anjo-príncipe que toma conta da Geena. Ele diz a Deus: "Coloque tudo no meu mar, me alimente com a semente de Seth, eu estou com fome." Mas Deus recusou o seu pedido, dizendo-lhe para levar os povos pagãos (Shab. 104). Deus disse ao anjo-príncipe: "Eu puno de cima os caluniadores, e também vou puni-los embaixo com brasas" ("Ar 15b.). As almas dos filhos de Corá foram queimadas, e o anjo-príncipe rangeu os dentes para eles por conta da bajulação de Corá (Sanh. 52a). A Geena grita: "Dá-me os hereges e os pecadores do poder [romano]" ('Ab Zarah 17a.).

Julgamento.

Supõe-se em geral que os pecadores vão imediatamente para o inferno após a sua morte. O famoso professor Johanan b. Zakkai chorou antes de sua morte, porque ele não sabia se iria para o paraíso ou para o inferno (Ber. 28b). Os piedosos vão para o paraíso, e os pecadores para o inferno (B. M. 83b). Para cada indivíduo é repartida duas partes, uma no inferno e outra no paraíso. Na morte, no entanto, a porção do homem justo no inferno é trocada, de modo que ele tem duas no céu, enquanto o inverso é verdade no caso dos pecadores (15 Hag.). Por isso, teria sido melhor para os últimos não ter vivido muito (Yeb. 63b). Eles são lançados no inferno a uma profundidade compatível com sua pecaminosidade. Eles dizem: "Senhor do mundo, fizeste bem: o Paraíso para os piedosos e a Geena para os ímpios" ('Er 19a.).

Há três categorias de homens, os totalmente piedosos e o arqui-pecadores que não são purificados, mas somente aqueles entre essas duas classes (Ab. R. N. 41). Uma opinião semelhante é expressa no Talmude Babilônico, que acrescenta que aqueles que pecaram contra si mesmo, mas não levaram outros ao pecado permanecerão por 12 meses na Geena; "depois de 12 meses de seus corpos são destruídos, suas almas serão queimadas, e o vento espalha suas cinzas debaixo dos pés dos piedosos, Mas com respeito aos hereges, etc., e Jeroboão, filho de Nebate, deve perecer no inferno, mas eles não perecerão" (R. H. 17; compare com Shab 33b). Todos os que descem à Geena voltarão novamente, com exceção de três classes de homens: os que cometeram adultério, ou envergonharam seus vizinhos, ou os difamaram (B. M. 58b). A felicidade dos piedosos no paraíso excita a ira dos pecadores que os contemplam quando vierem do inferno (Lev. R. 32.). O Livro de Enoque (27:3, 48:9, 62:12) parafraseia este pensamento dizendo que o piedoso se alegra com as penas do inferno sofridas pelos pecadores. Abraão leva o condenado ao seu seio ('Er 19a; compare com Lucas 16:19-31). O fogo da Geena não toca os pecadores judeus porque eles confessam seus pecados perante as portas da Geena e voltam para Deus ('Er. 19a). Como mencionado acima, os hereges e os opressores romanos vão para a Geena, e o mesmo destino aguardava os persas, os opressores dos judeus na Babilônia (Ber. 8b ). Quando Nabucodonosor desceu ao inferno, todos os seus habitantes tiveram medo de que ele estivesse vindo para governá-los (Shab. 149a; compare com Isa 14:9-10). O Livro de Enoque também diz que principalmente os pagãos é que estão para serem lançados na piscina de fogo no Dia do Julgamento (10:6, 91:9, et al.). "O Senhor, o Todo-Poderoso, vai puni-los no Dia do Julgamento, colocando fogo e vermes em sua carne, para que eles gritem de dor por toda a eternidade" (Judith 16:17).

Vale do Ge-Hinom


(De uma fotografia de Bonfils .)
Os pecadores na Geena serão cheios de dor quando Deus coloca de volta as almas nos corpos dos mortos no Dia do Juízo Final, de acordo com Isa. 33:11 (Sanh. 108b). Enoque também concorda (43:9) que os pecadores vão desaparecer como a palha diante dos rostos dos eleitos. Não haverá Geena no mundo futuro, no entanto, por Deus tirar o sol fora de seu caso, e este vai curar os piedosos com seus raios e punirá os pecadores (Ned. 8b). 




Pecado e Mérito.

Diz-se frequentemente que certos pecados conduzirão o homem para Geena. O nome "Geena" em si é explicada no sentido de que a falta de castidade vai levar para a Geena ('Er. 19), assim também será para o adultério, a idolatria, o orgulho, a zombaria, a hipocrisia, a raiva, etc. (Soṭah 4b, 41b; Ta'an 5a;. B. B. 10b, 78b,. 'Ab Zarah 18b;. Ned 22a). O inferno espera por quem se vicia em linguagem imprópria (Shab. 33a; Enoque, 27.); Quem sempre segue os conselhos de sua esposa (B. M. 59a); quem instrui um aluno indigno (Ḥul. 133b); quem se afasta da Torá ( B. B. 79a;. compare com Yomá 72b). Para mais detalhes veja 'Er. 18b, 101a; Sanh. 109b; Kid. 81a; Ned. 39b; B.M. 19a.

Por outro lado, há méritos que preservam o homem de ir para o inferno, por exemplo, a filantropia, o jejum, a visita aos doentes, a leitura do Shemá e Hallel, e comer três refeições no Shabat (Giṭ. 7a; B. B. 10a; B. M .85a;. Ned. 40a; Ber. 15b; Pes. 118; Shab. 118). Os israelitas, em geral, são menos ameaçadas (Ber. 10) do que os hereges, ou, de acordo com B. B. 10a, do que os pagãos. Acadêmicos (Hag. 27a; compare com Men. 99b e Yomá 87a), os pobres e os piedosos (Yeb. 102b) são especialmente protegidos. Três classes de homens não verão a face do inferno: aqueles que vivem na penúria, aqueles que sofrem com catarro intestinal, e aqueles que são pressionados por seus credores ('Er 41b.). Parece que as expressões "condenado ao inferno" e "ser salvo do inferno" devem ser interpretadas hiperbolicamente. Uma mulher má é comparada à Geena em Yeb. 63b. Sobre os nomes da Geena ver “Er. 19a; B. B. 79a; Sanh. 111b; et al.

Bibliografia:

• Winer, B. R. i. 491;
• Hamburger, R. B. T. i. 527-530;
• Hastings, Dict. Bible, ii. 343-346;
• H. Guthe, Kurzes Bibelwörterb. pp. 271-274, Tübingen and Leipsic, 1903;
• G. Brecher, Das Transcendentale, etc. pp. 69-73, Vienna, 1850;
• A. Hilgenfeld, Jüdische Apocalyptik, Index, Jena, 1857;
• F. Weber, Jüdische Theologie, pp. 336 et seq.;
• E. Stave, Der Einfluss des Parsismus auf das Judenthum, pp. 153-192 et seq., Haarlem, 1898;
• James, Traditional Aspects of Hell, London, 1903.



O Inferno em outras palavras

Vejamos, agora, outras formas de como o Seol-Hades-Infernus é também chamado:

01. Cova, buraco, fossa, poço (heb.: בור = BŌR; gr.: frear FREAR – difere de שחת SHAHHATH = buraco, cova simples, trincheira – Ez. 19:4, 8; Ez. 28:8) – Is. 14:15; 38:18; Ez. 26:20; 31:14, 16; 32;18, 24, 25, 29, 30  / Apoc. 9:1, 2, 11);

02. Região tenebrosa (heb.: צלמות TSALMAVETH = SOMBRA DA MORTE; LXX.: ᾅδης HADES; Targuns:  מותא דגיהנם  MORTE DO GEENA) – Jó 38:17; Jó 10:21, 22;

03. Abismo; perdição, destruição (heb.: אבדון ABHADŌN; LXX: ἄβυσσος ABYSSOS, ἀπώλεια APŌLEIA) – Jó 26:6; 28:14; Sl. 88:11; Pr. 15:11; 27:20 / Ap. 9:1, 2; 11:7; 20:1-3 [gr.: ἄβυσσος ABYSSOS]; Ap. 9:11 [gr.: Ἀπολλύων APOLLÝŌN]); Sl. 139:8; Am. 9:2 (heb.: שאול SEOL);

04. Lugar sem volta – Jó 10:21a

05. Terra das trevas e da sombra da morte – Jó 10:21b

06. Terra de negridão, de profunda escuridade – Jó 10:22a

07. Terra de sombra da morte e do caos onde a própria luz e tenebrosa - Jó 10:22b;

08. Profundezas da terra – Sl. 63:9; Ez. 31:14;

09. Trevas exteriores (A.R.C.) – Mt. 8:12; 22:13; 25:30.

10. Fornalha acesa – Mt. 13:42, 50;

11. Fogo eterno – Mt. 18:8;

12. Inferno (Geenna) de fogo – Mt. 5:22; 18:9; Tg. 3:6;

13. Lago de fogo – Ap. 19:20; 20:10, 14,15.

E assim, vemos que o Inferno de fogo, o tormento eterno (Apoc. 14:10:11; 20:10) não é uma invenção do romanismo, adotado pela cristandade em geral, como enganam os testemunhas-de-jeová e algumas seitas heréticas, mas é uma realidade bíblica, fartamente documentada.

Eis a realidade do destino final do homem:

a)  Os  ímpios  vão  para  o  INFERNO:

1. “...os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes.” (Mat. 13:40-42 - grifo acrescentado). Note: é ali, na fornalha acesa, que haverá choro e ranger de dentes;

2. “Morreu também o rico e foi sepultado. No inferno (HADES), estando em tormentos ergueu os olhos e viu a Lázaro...” (Luc. 16:23)[*10];

3. “Os mais poderosos dos valentes... lhe gritarão do além (heb.: SHEOL, gr. HADES): Desceram, e lá jazem eles...” (Ezeq. 32:21);

4. “Então o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.” (Mat. 25:41);

5. “Os pecadores... perguntam: Quem dentre nós habitará com o fogo devorador? Quem dentre nós habitará com chamas eternas?” (Isa. 33:14) Muitos habitarão, morarão com o fogo devorador, com as clamas eternas!

6. “E a anjos,... os que abandonaram o seu domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia” (Judas 6);

7. “Como Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas... seguindo após outra carne... são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.” (Judas 7);

8. “...será atormentado com fogo e enxofre,... na presença do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos... não têm descanso algum...” (Ap. 14:10b,11a);

9. “O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre[*11], onde também se encontram não só a besta como o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite pelos séculos dos séculos.” (Apoc. 20:10 - grifo acrescentado). O tormento do diabo e dos ímpios não terá fim, diz a clara Palavra de Deus. Se a Bíblia assim ensina, é preferível mil vezes acreditar nela, que na opinião de homens desviados da verdade.

b) Os Justificados vão para o CÉU:

1. “Para o sábio há o caminho da vida que o leva para cima, a fim de evitar o inferno embaixo.” (Prov.15:24);

2. “Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para junto de Abraão” (Luc. 16:22 - trad. livre);

3. “Jesus lhe respondeu: Amém. Eu te digo que hoje estarás comigo no paraíso.”  (Luc. 23:42,43 - trad. livre);

4. “E apedrejavam a Estevão que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! (At. 7:59 - grifo acres.);

5. “Entretanto, estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo, e habitar com o Senhor.” (2Co. 5:1-8 - grifo acres.);

6. “Porquanto, para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.” (Fil. 1:21);

7. “...vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus... clamaram em grande voz...” (Apoc. 6:9-11 -  grifo acres.);

8. “Depois... vi, e eis grande multidão... em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestes brancas...” (Apoc. 7:9, 13-17) 

E assim, podemos ver que as Escrituras Sagradas são claras ao afirmarem a realidade da vida consciente além túmulo. Na parte b-4 acima, vimos que Estevão rogava ao Senhor da vida que recebesse o seu espírito. E, como já foi estudado, com abundantes provas bíblicas, espírito não é uma força de vida ativa impessoal, como enganam as TTJ, mas é o fôlego de vida pessoal. O próprio Jesus disse que estaria no coração da terra (Mat.12:40) e no qual realmente foi e proclamou o Evangelho a “espíritos em prisão” conforme nos diz 1 Pedro 3:18,19 e 4:6. A palavra grega para pregar, proclamar o evangelho, é κηρύσσω (KĒRYSSŌ) e só é usada no N.T. com vista ao arrependimento e à salvação das almas. Conf.: Mat. 4:17; 10:7; Luc. 8:1; Rom. 10:14, 15; 1Co. 1:21, etc. Este é mais um mistério das Escrituras.

Para finalizar, vamos considerar um texto difícil em Jó 26:5, 6, que diz:

“A alma dos mortos tremem debaixo das águas com seus habitantes. “O além (Seol) está desnudo perante Ele, e não há coberta para o abismo (heb.: ABADON).”
Temos a explicação Novo Testamento, em Apocalipse 20:13, ao falar sobre o Juízo Final, diz que tanto o mar (gr.: THALASSA), como a Morte (gr.: THANATOS) e o Inferno (HADES) darão os seus mortos que neles havia, para serem julgados segundo as suas obras. Os justos não se encontram ou se encontrarão nestes lugares, fato pelo qual, não irão a julgamento. (João 5:24)
AMÉM!



Por: Luís Antônio Lima dos Remédios – IPM






[*1] Daí (penso eu), o motivo do centro da terra ser tão quente até ao dia de hoje (cerca de 12.000 graus Fahrenheit, mais quente que a superfície solar), pois a tendência da temperatura dos corpos é chegar ao mesmo grau relativo,  mas que o mesmo não acontece ao núcleo terrestre, pois há milênios ele continua incandesceste, e, pelo seu tamanho, segundo a regra das leis naturais, exigiria uma quantidade enorme de oxigênio para a sua combustão, onde inferimos que deve haver uma outra lei desconhecida que o rege.  Assim sendo, o núcleo terrestre ajusta-se muito bem à descrição do Inferno bíblico que também é chamado de “abismo”, “seio” ou “coração da terra”, “região inferior da terra”, etc. (Num. 16:30-33;  Is. 7:11;  Mat. 12:40;  Ef. 4:9)

[*2] Embora haja consciência além túmulo (Ez.32:21, Luc. 16:23, 24), por determinação divina, quem está no Além não pode retornar ao mundo dos que vivem debaixo do sol (Luc. 16:25-31), pois todos os projetos que tinham em mente se desfizeram com relação às coisas deste mundo, e nem sabem coisa alguma do que se passa aqui. (Ecl. 9:5, 6).
[*3] Local este chamado de CAMPUS  ELISEUS, o Paraíso imaginado pelos gregos e romanos, e que os antigos pais da Igreja chamavam de Limbus Patrum (lat.: limbus = borda, orla e patrum = pais), conceito este adotado pela igreja romana, que inventou mais um, na sua teologia, chamado de Limbus Infantum, que é o lugar para onde iriam os infantes não batizados.

[*4] Atualmente só são encontrados os rios Tigre e Eufrates, na Mesopotâmia, estando os rios Giom e Pisom desaparecidos, embora Flávio Josefo identifique-os com o Nilo (no Egito) e o Ganges (na Índia), respectivamente. ("História dos Hebreus": antiguidades Judaicas, Livro Primeiro, cap. I:4, pág. 49 - tradução de Vicente Pedrosa - CPAD - 1ª edição, 1992).

[*5] Por não compreenderem esta difícil doutrina, muitos tradutores e revisores do A.T. verteram erradamente a palavra Sheol por "sepultura", quando um texto bíblico fazia menção de um justo desejar ir para o inferno (Seol).

[*6]  A Bíblia na Linguagem de Hoje, verte da seguinte forma a parte "b" de Ef. 4:8:  "Quando ele subiu às alturas, levou muitos prisioneiros e deu dons às pessoas.” Note: houve salvação no Inferno pelo fato de o Senhor Jesus ter estado lá. (1Ped.3:18-20; 4:6) Na sua ascensão o Senhor levou os salvos (que estavam no Hades) ao céu. Hoje não há mais esta oportunidade; para ser salvo o pecador tem que crer e confessar a Jesus como Senhor. (Romanos 10:8-15; João 5:24)


[*7] A palavra deste texto, no original, que foi traduzida por "finados" (A.R.A.) ou "mortos" (A.R.C.) é REFAINS (heb.: REFAÎM) e refere-se a uma raça de gigantes (Gên. 14:5; 15:18-20; Jos. 13:12; Deut. 2:10-11, 19-20; 2Sam. 21:16) que foi extinta (Gênesis 15:18-20; Deuteronômio 3:3, 11, 13) e lançada no Seol/Inferno (Jó 26:5, 6 – mortos = refains), embora tenha deixado descendência (1Crô. 20:4-8; 1Sam. 17:4-7). Outras ocorrências: Jó 26:5; Provérbios 2:18; 9:18; 21:16; Isaías 14:9 ["sombra" em A.R.A. e "mortos" em A.R.C, etc.] e 26:14, 19. Em todas estas ocorrências, tanto a Septuaginta grega como a Vulgata latina traduzem a palavra hebraica "REFAÎM" por  "GIGANTES". Por causa disso, atualmente a palavra apr rafa' no plural veio a ter os seguintes significados: mortos, defuntos; fantasmas de mortos,  sombras,  espíritos.

[*8] A partir de 1975, cientistas têm estudado, nas profundezas marítimas, através de minisubmarinos, a presença de verme gigantes conhecidos como verme tubulares, que podem medir alguns centímetros até 3 metros de comprimento vivendo ao redor de rachaduras e vulcões (chaminés) abissais, suportando altíssimas temperaturas. Por não terem sistema digestivo, no interior destes vermes há bactérias super resistentes que transformam gás sulfuroso (enxofre) e materiais decompostos, em alimento para os mesmos. Embora da crosta terrestre até o fogo a distância seja de 50 milhas, em alguns lugares do Oceano Pacífico esta distância pode chegar a 1 milha!

[*9] Atualmente, no Vale de Hinom, há um lindo jardim, em nada lembrando a antiga lixeira incandescente. Assim sendo, quando o Senhor Jesus referiu-se à Geena, não estava referindo-se propriamente a esta localidade, pois Ele disse que não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga, (Mar.9:48) e o fogo do Vale de Hinom há séculos está extinto. Logo, o Senhor referiu-se à condenação futura no Inferno de fogo, depois da grande ressurreição. (Mat. 10:28; Luc. 12:5;  Apoc. 14:10, 11;  20:13-15;  21:8)

[*10] Embora haja consciência além túmulo (Ez.32:21, Luc. 16:23, 24; Apoc. 6:9-11), por determinação divina, quem está no Além não pode retornar ao mundo dos que vivem debaixo do sol (Luc. 16:25-31), pois todos os projetos que tinham em mente se desfizeram com relação às coisas deste mundo, e nem sabem coisa alguma do que se passa aqui  (Ecl. 9:5, 6).

[*11] Fogo e enxofre – é o que mais se vê em uma erupção vulcânica, pois este último é um dos minerais mais abundantes nas camadas abissais da terra. 



____________________________________________________________






Outros estudos já postados:


1- O Novo Testamento NÃO Foi Escrito em Hebraico e/ou Aramaico (1)

2- O espiritismo segundo [alguns] “evangélicos”

3- Adultério do Coração

4- Santa Ceia: vinho ou suco de uva?

5- O Dia do Senhor: Sábado ou Domingo?

6- O Que a Bíblia Diz Sobre a Idolatria

7- Deuterocanônicos ou Apócrifos?

8- A divisão das horas do dia nos tempos bíblicos

9- Deus e deuses

10- 30 Razões Porque Não Guardo o Sábado

11- O Nome JESUS

12- O Verbo era um deus?

13- A  divindade de Cristo negada entre colchetes


14- Cruz ou estaca de tortura?



15- YHWH – Um Nome que será esquecido para sempre

 




Luís - ܠܘܝܣ לואיס - Λουις





Gostou? Comente.






3 comentários:

Hjálmur disse...

Por que o amado irmão não publica o seu livro "Seja a Palavra de Deus Verdadeira e Mentirosa a Tradução do Novo Mundo dos testemunhas-de-jeová", na Alpha Graphics? Eu publiquei recentemente a minha monografia. Acesse o site, estudo como formatar o seu livro e pronto!

Hjálmur disse...

www.agbook.com.br

Luís Antônio - Cacerege disse...

Agraddeço pela dica, amado irmão. Vou acessar e ver como fazer.